Neste período, da chamada temporada de verão, como se observa através dos meios de comunicação, aumenta sensivelmente a incidência de acidentes de trânsito. Estudos revelam que as principais causas são a negligência do motorista (desatenção ou falta de cuidado ao realizar um ato), imprudência (velocidade excessiva, dirigir sob efeito de álcool, falar ao celular, desrespeitar a sinalização, etc.), imperícia (falta técnica ou de conhecimento para realizar uma ação de forma segura e adequada). Portanto, uma das maiores causas dos acidentes chama-se condutor de veículo.

Estatisticamente, pode-se dizer que, direta ou indiretamente, o responsável por 93% dos acidentes de trânsito, “é o homem”. E, entre as diversas causas de acidentes, podemos citar: excesso de velocidade; desrespeito à sinalização; ingestão de bebidas alcoólicas; ultrapassagens indevidas; má visibilidade (chuva, neblina, cerração, noite); falta de atenção; defeitos nas vias; falta de manutenção adequada dos veículos; distração interna do condutor (rádio, passageiro, celular, objetos soltos no interior do veículo); ação evasiva inadequada, frente a um fator adverso (buraco, veículo parado, etc.); técnica inadequada ao dirigir veículo (não observar o retrovisor externo e esquerdo, por exemplo); avaliação errada de distância e velocidade de um outro veículo; não obediência das normas de circulação e conduta (tanto para condutores como para pedestres); falta de conhecimento e obediência das leis de trânsito (condutores e pedestres); impunidade dos infratores; travessia em locais perigosos; sonolência, falta de descanso, drogas (remédios, psicotrópicos, tranquilizantes, etc.) e fadiga, associada obviamente muitas vezes, a fatores diversos como falta de conservação e sinalização das vias, falta de fiscalização, falta de manutenção do veículo, animais na pista, enfim.

Sendo assim, a grande maioria dos acidentes de trânsito pode ser evitada com uma simples mudança no comportamento dos usuários da via pública, seja ele o condutor de um veículo, um ciclista, motociclista ou pedestre.