“Seu Nerci”. Assim era, carinhosamente, chamado o tradicionalista ilustre Nerci Liberato da Conceição, nascido em 20 de fevereiro de 1925, no município de Ijuí, mas morador em Santo Augusto desde criança até o dia de sua morte, em 30 de janeiro de 2013, aos 88 anos de idade. 

Seu Nerci era apaixonado pelo tradicionalismo, sempre fiel ás raízes nativas, exemplar herança dos ancestrais. Desde jovem exercitou a vida campeira sob seus mais diversos aspectos. No início dos anos 80, com a dedicação e perseverança que lhe eram peculiares, contando com o costado e apoio dos tradicionalistas Claudio Souza, Idalino Speroni, e outros, da patronagem do CTG Pompilio Silva, adquiriu uma área de terra de 26 hectares, na localidade de Pedro Paiva, há 15 km do centro de Santo Augusto, criando, assim, a “Estância de Rodeios”, que mais tarde, em sua homenagem, foi denominada “Estância de Rodeios Nerci Liberato da Conceição”.

No dia que comemorava seu último aniversário, 20.02.2012, o “Seu Nerci” me deu a honra de fazer com ele uma reportagem para o Jornal O Celeiro (edição de 24/02/12), oportunidade em que, mesmo com a fragilidade de sua saúde, nos levou até a Estância de Rodeios, onde discorreu sobre sua história nas lides tradicionalistas, com foco na arborização de toda a área da estância, como foi projetada, e as espécies plantadas, tanto as nativas (Pitanga, guabiroba, cerejeira, guabiju e outras), como madeira de lei (ipê, grápia, angico, guajuvira, canela, cedro, açoita cavalo e outras), os espaços, as ruas, a avenida, os estacionamentos, tudo definido na disposição das 45 mil árvores plantadas, formando aquele verdadeiro horto ecológico florestal.  

O lugar passou a ser referência e proporcionar às pessoas da cidade e da região momentos agradáveis junto à natureza, onde, além da arborização dispõe de infraestrutura com redes de energia elétrica, hidráulica e banheiros, três pavilhões grandes para exposição, hípica, pista para tiro de laço.

Mas, sem devaneio, vamos ao ponto principal que nos traz a essa abordagem:

“as tralhas campeiras do Seu Nerci”.

Lá no interior da Estância de Rodeios, numa casa que tinha como sua segunda moradia, Seu Nerci instalou um verdadeiro “museu de objetos campeiros antigos”, de modo a preservar usos e costumes do gaúcho, do homem simples do campo.

No âmbito cultural, vejo que a vereadora Carolina Fragoso Langner tem razão quando sugere ao Poder Público do Município que medidas legais sejam adotadas para a preservação histórica daquele patrimônio, catalogando com a nomenclatura e histórico de cada objeto lá expostos.

Por ocasião da reportagem colhi muitas fotos do museu, ao mesmo tempo em que o Seu Nerci descrevia sobre cada uma das peças históricas lá existentes.

 Eis algumas das fotos: