Alaides Garcia dos Santos

 

Situado junto à ERS-155, km 75, na localidade de Pedro Paiva, interior do município de Santo Augusto, o Memorial dos Degolados, conhecido como “Cemitério dos Degolados” foi totalmente revitalizado por parte da administração municipal, passando por profundas modificações, inclusive criados e afixados sete painéis contando um pouco da história da Revolução de 1923, chamada de “Libertadora”.  Situado na Rota do Yucumã, o local é um marco regional onde, durante aquela Revolução, dezenas de pessoas foram mortas degoladas.

A obra de revitalização custou R$ 23 mil aos cofres públicos do município de Santo Augusto e visa imortalizar o local histórico.

A reinauguração aconteceu quinta-feira, 29 de janeiro de 2015, pelo Prefeito Municipal José Luiz Andrighetto, cujo ato foi prestigiado por razoável público, apesar do mau tempo.

O Cemitério dos Degolados foi criado através da Lei Municipal nº 844, de 25 de maio de 1989. O conflito, segundo a história, foi o último grande confronto envolvendo os grupos políticos denominados de Chimangos e Maragatos do Rio Grande do Sul. As rusgas entre os dois grupos duraram 324 dias.

Em Santo Augusto, simpatizantes e militantes de ambos os grupos se organizaram em piquetes de Maragatos, que usavam o lenço vermelho  e Chimangos, que usavam o lenço branco. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                      Fotos: Rádio Ciranda