No último sábado (25), o prefeito de São Valério do Sul, senhor Vladimir Antônio Vettorato se viu envolvido num caso que acabou na área policial. Segundo o apurado, com verba pública de origem do governo do estado, a prefeitura adquiriu 1.500 sacas de 50 quilos de adubo cada, para ser distribuído aos agricultores da comunidade indígena daquele município, isso no mês de outubro do ano passado. Porém, uma parte, consta ser 750 sacas, o prefeito guardou em dependências do Parque de Eventos do Município, cujo motivo do suposto desvio do adubo, por ora, é desconhecido, mas há indícios de que a intenção é distribuir aos destinatários por direito, apenas no segundo semestre deste ano.

Consta que na tarde de sábado passado, 25 de abril, Vettorato e seu filho Vilson, com um caminhão particular dele, teria ido ao Parque de Eventos, carregado o produto e levado para sua propriedade.

O vereador Egon Ludwig, tomando conhecimento do que estava ocorrendo, convidou o advogado Vanderlei Steiger, assessor jurídico da Câmara de Vereadores, para acompanhá-lo ao local e certificar-se da veracidade do fato. Vanderlei, acompanhado de João Paulo, ao chegar viu que o caminhão de Vettorato, dirigido por Vilson, estava deixando o local, então o seguiram e viram que entrou na propriedade particular do prefeito.

Retornando ao Parque Municipal de Eventos, Vanderlei, sempre acompanhado de João Paulo, constatou que havia 10 bags (bolsões) com adubo dentro. Nesse momento o prefeito Vladimir Vettorato chegou no local e, exaltado, com gesto ameaçador e intimidatório, questionou sobre o que estavam fazendo lá?

O vereador Egon, que também chegara ao local questionou o prefeito sobre o adubo, mas, de forma agressiva, a resposta de Vettorato foi de que “lá quem manda é ele e não tem que dar satisfação a ninguém”.

A Brigada Militar, cuja presença havia sido solicitada por Vanderlei, chegou no local, inteirou-se dos fatos e tomou as providências pertinentes, inclusive apreendendo o adubo que ainda restava no local e vasilhame, e conduziu as partes até à Delegacia de Polícia de Santo Augusto. Alguns, entre eles o prefeito e Vanderlei, apresentavam sinais de lesões corporais e foram submetidos a exame de corpo de delito.

Vanderlei ressalta, em depoimento prestado na área judiciária (Polícia Civil), que há uns dez dias, um membro do Conselho Municipal da Agricultura o procurou e mostrando-se preocupado relatou que a entidade havia aprovado a prestação de contas como se todo o adubo (1.553 sacas) tivesse sido entregue à comunidade indígena, porém parte desse adubo estava depositado no parque de eventos. O caso está sendo apurado pela Polícia Civil.

O que diz o prefeito Vladimir Vettorato

A respeito dos fatos, o prefeito Vladimir Antônio Vettorato se manifestou através de nota devidamente assinada. Eis a nota:

“Solicitado pela imprensa a respeito de fato ocorrido na tarde de sábado, venho a público lamentar, que, em um período complicado de saúde pública, opositores políticos inventem inverdades para prejudicar o bom andamento da administração municipal, bem como tentar denegrir meu nome.

A verdade é que fui agressivamente abordado por um senhor de nome João Paulo, instigado pelo presidente do Poder Legislativo e pelo assessor jurídico da Câmara de Vereadores do Município, aquele que machucou meu braço, o que está já comprovado por atestado médico, derrubou meu aparelho celular e o quebrou, no momento em que eu iria gravar as agressões que vinha sofrendo.

Me acusam, mentirosamente de ter me apropriado de adubos que foram destinados (integralmente) para a agricultura indígena, tendo sido trinta e sete beneficiários que se habilitaram e receberam 1.553 sacas de adubo, no dia 10.10.2019, tudo devidamente documentado, fotografado e publicado, após celebração de convênio com o governo do estado, em processo que obedeceu todos os ditames da legalidade.

Todos em São Valério e região sabem que, além de administrar o município, sou agricultor, trabalho de sol a sol desde muito novo, para garantir o sustento da minha família e também a prosperidade para o povo de São Valério.

Como temos propriedade rural, por óbvio, compramos insumos para a lavoura, inclusive adubos, tudo com notas fiscais, que serão apresentadas oportunamente às autoridades para esclarecer qualquer inverdade dita.

Fato é que, em ano político, os interesses começam a aparecer, por vezes com muita maldade. Como não temos nada a esconder, já estamos estudando respostas jurídicas para exigir o ressarcimento pelos danos sofridos, de quem quer que seja.”

Segue assinatura Vladimir A. Vettorato