A coordenadora do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Cynthia Molina Bastos, foi entrevistada na manhã deste sábado (20), na Rádio Gaúcha, para responder às principais dúvidas sobre o novo mapa do distanciamento controlado no Rio Grande do Sul. As restrições de atividades foram anunciadas na noite de sexta-feira (19), quando o mapa colocou 11 regiões do Estado em bandeira preta.

Conforme divulgado pelo governador Eduardo Leite, as atividades estão suspensas em locais públicos em todo o Estado entre as 22h e as 5h. A restrição vale deste sábado até 1º de março. O detalhamento da medida será publicado em decreto em edição extra do Diário Oficial do Estado.

 

Veja, abaixo, as principais dúvidas respondidas

 

A partir deste sábado, entre 22h e 5h, está válido um toque de recolher? O que pode funcionar?

Restaurantes, bares e quaisquer atividades comerciais não podem funcionar no horário. A intenção é diminuir a circulação de pessoas e a ocorrência de aglomerações em locais públicos. Não é um toque de recolher – a pessoa pode circular livremente, desde que não participe ou promova aglomerações.

A restrição noturna, entre 22h e 5h, vale em todo o Estado?

Sim. A medida é válida para todas as regiões do Rio Grande do Sul, independente da cor de bandeira que está vigorando.

Se cair a cogestão, que permite a aplicação de medidas de uma bandeira inferior, as decisões passam a ser do Estado? 

Depende. Na segunda-feira (22), reuniões devem pactuar a definição a respeito da cogestão. As decisões são sempre pactuadas, e não unilaterais. Questões individuais de áreas específicas, mesmo com o fim do modelo de cogestão, podem ser discutidas internamente e aplicadas posteriormente.

Por que restaurantes e bares devem fechar em bandeira preta?

Locais de alimentação coletiva, como restaurantes e bares, favorecem a transmissão do coronavírus porque possibilitam a presença de uma grande quantidade de pessoas juntas e sem máscaras – mesmo que afastadas, o risco de contaminação é alto.

Escolas podem abrir na segunda-feira?

Sim. O mapa de bandeiras passa a valer apenas na terça-feira (23). A exceção é para Porto Alegre: escolas municipais não iniciam as atividades na segunda, conforme previsto anteriormente e anunciado pelo prefeito Sebastião Melo. Caso a bandeira preta seja concretizada, aulas presenciais são banidas em todos os níveis e podem seguir em formato remoto. As instituições devem comunicar os alunos a respeito da mudança.

Quais são as regiões em bandeira preta? 

Pelo mapa preliminar, anunciado na sexta-feira, as regiões de Caxias do Sul, Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Palmeira das Missões, Erechim, Passo Fundo, Santa Cruz do Sul e Lajeado estão classificadas como de altíssimo risco para o coronavírus. Durante o final de semana, as regiões podem apresentar seus recursos. O mapa definitivo será divulgado na segunda-feira (22).

Restaurantes e comércio fecham nesta segunda-feira?

Não. As medidas devem começar a valer a partir de terça-feira, conforme o mapa definitivo. Esta definição também depende da permanência (ou não) do modelo de cogestão.

As áreas comuns de condomínios, como academias e salões de festas, podem funcionar?

Não. Tanto em bandeira vermelha quanto na preta, as áreas devem ser fechadas.

GZH