BlogdoAlaides.com.br

Mais de cem policiais fazem cerco a quadrilha que matou soldado após ataque a banco em Porto Xavier

Ronaldo Pinheiro / EspecialPoliciais civis e militares participam das buscas aos criminososRonaldo Pinheiro / Especial

 

Forças de segurança de diferentes regiões do Estado estão mobilizadas ao longo desta quinta-feira (25) no cerco aos bandidos que atacaram um banco e mataram um policial na Região Noroeste. Mais de cem policiais, entre civis e militares, estão no entorno de uma área de matagal no interior de Campina das Missões.

Durante o cerco, policiais localizaram um saco carregado com grande quantidade de dinheiro. Visivelmente, é possível perceber que há diversas notas de R$ 100, mas a quantia ainda não foi calculada.

Também foram apreendidos uma pistola calibre 9 mm e um fuzil, compatível com o que os criminosos estariam usando. Na tarde passada, no primeiro confronto com os assaltantes, a Brigada Militar já havia apreendido dinheiro e munição de fuzil no carro usado pela quadrilha.

Após o ataque a banco com reféns em Porto Xavier, ainda na tarde de quarta-feira, os bandidos fugiram para o município vizinho de Campina das Missões. Eles foram interceptados por policiais militares e, em seguida, entraram em uma área de mato.

Por volta de 3h30min desta quinta, dois integrantes do grupo saíram do matagal e encontraram o cerco policial. Os bandidos portavam fuzis e atiraram contra a BM.

Um dos tiros perfurou o colete à prova de balas e atingiu o soldado Fabiano Heck Lunkes, 34 anos, na região do tórax. Ele chegou a ser socorrido, mas morreu durante atendimento médico.

Brigada Militar / Divulgação
Polícia apreendeu grande quantidade de dinheiroBrigada Militar / Divulgação

— Não é comum na região este tipo de crime, justamente por causa da característica das Brigadas de várias cidades de se mobilizarem e cobrirem as rotas de fuga. Contamos com a comunidade da região, que nos informou sobre veículos estranhos e para onde estavam indo. O que aconteceu é que o colega usava um colete que segura somente até certo calibre — explica a subcomandante do 4º Batalhão de Polícia de Área de Fronteira da Brigada Militar, major Vanessa Peripolli.

A mobilização policial nesta quinta-feira ocorre em uma área de 26 hectares e conta com apoio de policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), de Porto Alegre, que são especializados em confrontos de alto risco. Um helicóptero também está à disposição para busca aérea, mas ele ainda não pode ser utilizado por conta do mau tempo na região.

O soldado Lunkes tinha saído de Cerro Largo para ajudar nas buscas aos criminosos.  Ele completaria 10 anos de Brigada Militar em 2019. O policial está sendo chamado de “herói” por amigos, que se manifestaram em redes sociais e conversaram com a reportagem de GaúchaZH.

Anteriores

Lula é ladrão, confirma STJ

Próximo

“Ele deu a chance para os bandidos se entregarem”, diz tenente que estava ao lado de PM morto por criminosos

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén

%d blogueiros gostam disto: