Leite reconheceu a dedicação e o esforço de profissionais no cumprimento da missão policial - Foto: Felipe Dalla Valle / Palácio Piratini

O Salão Alberto Pasqualini, no Palácio Piratini, foi palco, nesta segunda-feira (21/12), da entrega de medalhas por atos de bravura a cinco servidores da Polícia Civil. Ganharam a honraria o comissário de polícia Gilmar Antônio Santos da Fontoura; o escrivão Rodrigo Falcão Nuhrich; e os inspetores Pedro Sidnei Couto Vieira, Laion Wolf e Silvio Daniel Santos.

A entrega foi realizada pelo governador Eduardo Leite, pelo vice-governador e secretário da Segurança Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior, e pela chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor. Participaram, ainda, o chefe da Casa Civil, Otomar Vivian, e o líder do governo na Assembleia, deputado Frederico Antunes.

“É um reconhecimento pela dedicação e esforço de vocês, que demonstra o cumprimento na missão que vocês assumiram como policiais, e que também serve de exemplo para toda a corporação e para os outros servidores. Em nome de 11,5 milhões de gaúchos e gaúchas, digo muito obrigado pelo serviço prestado, e podem ter certeza que vão encontrar na nossa gestão um governo que está ao lado da segurança pública”, afirmou o governador.

Com longa carreira na Polícia Civil, o vice-governador também fez questão de reconhecer a medalha entregue aos agentes.

“A atividade de Polícia é diferenciada. É a única que jura com a própria vida a defesa de toda a sociedade. E um ato de bravura é aquilo que excede a normalidade, que já é difícil, por isso vocês merece esse reconhecimento agora”, destacou Ranolfo.

O inspetor Sílvio Daniel dos Santos recebeu a honraria em decorrência de um acidente de trabalho, ocorrido em dezembro de 2019, na Serra Gaúcha. Na época, ele e outros policiais civis investigavam uma quadrilha que teria como alvo um empresário em Gramado.

Ao se deslocar com a equipe até a residência do possível alvo, os agentes foram recebidos a tiros pelos criminosos, que já mantinham o empresário e a família dele como reféns dentro do veículo da própria vítima. Ao tentarem fugir da abordagem, os sequestradores atiraram contra o inspetor e outro policial. Sílvio ficou gravemente ferido e precisou ser hospitalizado.

Já no caso do comissário Fontoura, do escrivão Nuhrich e dos inspetores Vieira e Wolf, do Departamento Estadual de Investigações do Narcotráfico (Denarc), a honraria foi concedida por uma investida contra o tráfico na cidade de Canoas, em maio de 2019.

Na ocasião, ao interceptarem a venda de entorpecentes, procederam com a abordagem de um veículo, momento em que os criminosos efetuaram disparos de arma de fogo contra os policiais – e, consequentemente, contra as pessoas que passavam pelo local.

No primeiro caso, embora dois agentes tenham se ferido, o empresário e sua família foram libertados sem ferimentos. Já em Canoas, os policiais civis não se machucaram nem as pessoas que passavam pelo local. Contudo, um dos traficantes morreu no confronto com os agentes. Também 20 quilos de maconha foram apreendidos e tirados de circulação.

Para a chefe de Polícia, delegada Nadine Anflor, a entrega dessas medalhas é um ato de agradecimento e reconhecimento pelo esforço em cumprir a missão jurada no início da carreira policial.

“Servimos e protegemos a sociedade antes de qualquer coisa. Não pestanejamos, não pensamos duas vezes. A nossa missão é garantir que todos vivam”, afirmou Nadine.

Texto: Vanessa Kannenberg e Ascom PC
Edição: Patrícia Specht/Secom