Alaides Garcia dos Santos

 

Prejuízo foi dos usuários

Relativamente ao enfoque dado pela coluna na semana passada quanto à jornada de trabalho dos profissionais da saúde vinculados à Secretaria Municipal da Saúde de Santo Augusto, recebi contato de alguns desses profissionais alertando para um detalhe importante. Ponderam que com a jornada de trabalho ininterrupta de seis horas, o posto de saúde atendia o público desde as 7h da manhã, até às 7h da noite, sem intervalo ao meio dia, perfazendo um total de 12 horas ininterruptas aberto ao público. Decretado o fim desse sistema, os servidores voltaram às 8h/dia, resultando que o posto de saúde passou a atender das 8h às 12h e das 13h às 17h. Portanto foram reduzidas 4 horas diárias de atendimento à população. Sendo assim, os mais afetados e prejudicados não foram os funcionários, e sim os usuários do posto.

 

Segurança Pública

Apesar de o governador eleito José Ivo Sartori ter dito que só anunciará os futuros secretários de Estado a partir de 15 de dezembro, é natural que existam cogitações e especulações quanto a possíveis nomes. Sartori, ao responder indagação sobre o perfil dos secretários a serem escolhidos, disse que priorizará o perfil técnico compatível com a função, acrescentando que o melhor é se o titular da pasta agregar ambos os perfis (técnico e político). A violência e criminalidade que cresce assustadoramente devem merecer atenção especial do novo governador, por isso a escolha do futuro titular da pasta deverá recair, efetivamente, em alguém que reúna todas as condições, especialmente competência para coordenar o conjunto de instituições (BM, PC, IGP, Susepe) que integram a Secretaria da Segurança Pública e são responsáveis pelas ações preventivas, de investigação/repressão, perícias e o cárcere prisional. 

 

Vieira da Cunha cogitado

O PDT, embora não tivesse declarado apoio oficial a Sartori no segundo turno da eleição, deverá ser convidado a participar do novo governo. É de lá que deverá vir a indicação do nome para ocupar a Pasta da Segurança Pública. O deputado federal Vieira da Cunha (PDT), que foi candidato a governador, é Promotor de Justiça, e poderá ser o nome indicado, uma vez que reúne os perfis técnico/político desejado por Sartori. Na campanha, segurança pública foi um dos temas que ele mais abordou. Pregava a realização de concursos públicos anualmente para reverter a defasagem nos quadros das polícias (civil e militar), de agentes penitenciários e peritos. E mais…

 

Sistema Integrado

Vieira da Cunha pregava, também, a implantação do Sistema Integrado de Segurança estruturado a partir dos seguintes eixos: – prevenção primária da violência; – integração das polícias e órgãos de segurança; – redução da criminalidade pela gestão por resultados; reforma estrutural (recursos humanos e modernização organizacional, com realização de concurso público para recomposição do efetivo); investimento em tecnologia e inteligência; reforma de presídios e penitenciárias e construção de novas casas prisionais para reduzir o déficit de vagas no sistema e cumprir a Lei de Execuções Penais; liderar movimento nacional para reforma da legislação penal e processual penal, visando combater a impunidade. Se for ele, deverá ser esse o caminho.

 

Policiais mais honestos do Brasil

O custo da violência, a confiança dos brasileiros e dados sobre segurança do País foi divulgado oficialmente nesta terça-feira (11), durante o lançamento do “Anuário da Segurança Pública”. Entre os dados, o Estado se destacou em um ponto: os policiais gaúchos foram avaliados como os mais honestos: 62% dos entrevistados acreditam nisso. No Brasil, apenas 33% dos entrevistados afirmam confiar no trabalho da polícia. O relatório aponta também que 80% da população gaúcha afirma que é fácil desobedecer a lei no Brasil e 76% dos gaúchos concordam que sempre que possível as pessoas escolhem dar um “jeitinho” ao invés de seguir a lei.