POR RANOLFO VIEIRA JÚNIOR

Um ano depois de tirarmos do papel o Programa de Incentivo ao Aparelhamento da Segurança Pública (Piseg), o resultado alcançado materializa as premissas de nossa política de governo para a área, uma em especial: a integração. Com o trabalho técnico da Secretaria da Segurança Pública (SSP) e da Secretaria da Fazenda, aliado à consciência colaborativa do empresariado, alcançamos R$ 9,7 milhões em arrecadação direcionada para aprimorar o trabalho dos homens e mulheres dedicados à missão de proteger os gaúchos.

Por meio do Piseg, os empresários podem repassar 5% do ICMS mensal que pagam ao Estado diretamente à compra de equipamentos para as instituições da SSP. Dessa forma, já atingimos o necessário para adquirir 24 viaturas, 12 fuzis e outros armamentos para a Brigada Militar e a Polícia Civil, parte dos quais já foi entregue.

Ao encontro das outras duas premissas do RS Seguro, ampliamos o formato original para o Piseg funcionar com mais inteligência, concretizando o investimento qualificado – todas as viaturas terão semiblindagem, oferecendo mais proteção aos nossos policiais.

A partir do diálogo permanente entre o comitê-executivo do Piseg e empresários de todo o Estado, criamos projetos regionais que permitem reverter a colaboração das empresas diretamente em benefício das comunidades às quais elas estão ligadas. Assim, contabilizamos nesses 12 meses a participação de 190 empresas de todas as regiões, com 322 aportes direcionados às forças de segurança de 60 cidades.

O Piseg foi acolhido pela sociedade também para fazer a diferença na prevenção da violência. O saldo da contribuição de 10% sobre cada compensação de imposto que os empresários realizam permitirá dar a largada em duas ações voltadas a crianças e adolescentes. O Xadrez Escolar vai levar o esporte, que melhora o raciocínio e a aprendizagem, a 195 escolas priorizadas pelo RS Seguro. Com o Ospa Social, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre vai potencializar a inclusão e o desenvolvimento de novas habilidades através da música para estudantes de escolas selecionadas pelo programa.

A mesma integração que é fundamental para tornar mais eficiente o trabalho das forças de Segurança é também indispensável quando se trata da relação entre o Estado, responsável pela administração, e a sociedade, diretamente dependente do bom funcionamento desse serviço essencial. Uma certeza que consolidamos junto com o Piseg.

Vice-governador e secretário da Segurança Pública