Nas últimas semanas, os partidos começaram a definir as chapas, coligações e candidatos à Presidência da República para as eleições de 2022. Com as convenções partidárias ocorrendo desde 20 de julho, nomes já foram definidos pelas legendas para a disputa deste ano.

Este 5 de agosto é a data final indicada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para definições de chapa. Passadas as convenções, partidos e federações precisam  registrar as candidaturas dos escolhidos. Oficialmente perante à Justiça Eleitoral, um pré-candidato se torna candidato quando o partido envia a documentação ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Essa etapa ocorre após a realização da convenção e tem prazo até o dia 15 de agosto.

O primeiro turno das eleições 2022 está marcado para 2 de outubro. O segundo turno, se houver, será em 30 de outubro.

Conheça os candidatos à Presidência da República em 2022

Os candidatos à Presidência da República nas eleições de 2022 começaram a ser definidos nas convenções partidárias que estão em realização desde 20 de julho. Veja abaixo quem são eles, em ordem alfabética.

Bruno Todeschini / Agencia RBS
Ciro Gomes (PDT)

Foi deputado federal, prefeito de Fortaleza e governador do Ceará. Ciro Gomes ocupou também os cargos de ministro da Fazenda (no governo Itamar Franco) e da Integração Nacional (no governo Lula). Disputou as eleições presidenciais em três oportunidades: em 1998 e 2002, pelo PPS, e a de 2018, pelo PDT. Ficou em terceiro lugar na última, quando obteve 13,3 milhões de votos no primeiro turno. Na última quarta-feira (20), o PDT oficializou Ciro Gomes como candidato à Presidência da República.

Divulgação
Eymael (Democracia Cristã)

Presidente do partido Democracia Cristã, Eymael, 82 anos, disputou a Presidência da República em cinco oportunidades. Nunca foi para o segundo turno e, no pleito de 2018, fez 0,04% dos votos. Consagrado pelo jingle “ei, ei, Eymael”, venceu somente duas eleições, em 1986 e 1990, para deputado federal por São Paulo. A convenção nacional do Democracia Cristã oficializou o nome de Eymael como candidato no dia 2 de agosto, em São Paulo (SP).

Talles Kunzler / Novo/Divulgação
Felipe D’Avila (Novo)

Formado em Ciência Política e com mestrado em Administração Pública, fundou o Centro de Lideranças Públicas, voltado às boas práticas de gestão, e o VirtuNews, plataforma de jornalismo de dados sobre política e economia. Ex-filiado ao PSDB, nunca exerceu cargo eletivo, mas concorreu em 2018 nas prévias tucanas, vencidas por João Doria, para escolher o candidato a governador de São Paulo. Felipe D’Avila foi confirmado como o candidato do Novo à corrida presidencial.

DHAVID NORMANDO / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Jair Bolsonaro (PL)

Foi eleito presidente da República em 2018, no segundo turno, com 57,8 milhões de votos, pelo PSL. Em novembro de 2019, Bolsonaro deixou o partido  devido a desentendimentos com líderes da legenda e, após dois anos, filiou-se ao PL em novembro passado. Capitão reformado do Exército, foi deputado federal pelo Rio de Janeiro por sete mandatos, de 1991 a 2018. No dia 24 de julho, durante convenção do Partido Liberal (PL), no ginásio do Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, Bolsonaro oficializou a sua candidatura à reeleição, anunciando o ex-ministro da Defesa e da Casa Civil, general Braga Netto, como candidato a vice em sua chapa.

@unidadepopular / Instagram/Reprodução
Leonardo Péricles (UP)

Partido mais novo do Brasil, registrado pelo TSE em 2019, a Unidade Popular (UP) participará pela primeira vez da eleição à Presidência da República. No dia 24 de julho, em convenção realizada em Natal, no Rio Grande do Norte, o UP confirmou a candidatura de Leonardo Péricles, 40 anos, à Presidência da República. Morador de uma ocupação urbana em Belo Horizonte, Péricles é líder do Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB). Ele e Vera Lúcia (PSTU) são os únicos negros na disputa pela Presidência da República. A dentista Samara Martins foi oficializada pela sigla como vice na chapa.

Ricardo Stuckert / PT / Divulgação
Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

Governou o país entre 2003 e 2010 e, após obter vitórias em 20 processos judiciais, ficou livre para disputar a Presidência da República pela sexta vez. Luiz Inácio Lula da Silva foi impedido de participar das eleições de 2018 por ter sido condenado e preso no processo do triplex do Guarujá, no âmbito da Lava-Jato. No ano passado, o STF anulou as condenações contra ele, por entender que o caso não cabia à Justiça Federal do Paraná. No dia 21 de julho, o Partido dos Trabalhadores e a Federação Brasil da Esperança (PT, PV e PCdoB) confirmaram em convenção nacional os nomes de Lula e Alckmin como candidatos a presidente e vice, respectivamente.

Twitter @pablomarcal / Reprodução
Pablo Marçal (PROS)

Se apresenta como “cristão, filantropo, empreendedor imobiliário e digital, mentor, estrategista de negócios, especialista em branding e jurista por formação”. Natural de Goiânia, ficou conhecido após precisar do resgate dos bombeiros junto a um grupo na Serra da Mantiqueira sob condições climáticas desfavoráveis no mês de janeiro. Ele liderava os turistas como parte de um treinamento que estimula pessoas a enfrentarem situações desafiadoras. A convenção nacional do PROS contou com o anúncio de Pablo Marçal como candidato a presidente.

pablo valadares / Câmara dos Deputados
Roberto Jefferson (PTB)

Roberto Jefferson, 69 anos, é advogado e natural de Petrópolis (RJ). Chegou a participar de programas de televisão e a ser apresentador na década de 1980. Seu primeiro mandato como deputado federal foi em 1983, emendando seis mandatos consecutivos. Foi cassado após confessar participação no esquema do mensalão. Ficou conhecido por denunciar o esquema de compra de votos, escândalo do qual também participou. Foi condenado pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Em agosto de 2021, Jefferson teve prisão preventiva decretada por ataques às instituições democráticas em redes sociais. Em prisão domiciliar desde janeiro, o ex-presidente nacional do PTB foi lançado candidato em convenção realizada no dia 1º de agosto em Brasília.

Jefferson Rudy / Agência Senado
Simone Tebet (MDB)

Senadora em primeiro mandato, Simone Tebet, 51 anos, começou sua trajetória política em 2002, quando foi eleita deputada estadual no Mato Grosso do Sul. Em 2015, conquistou cadeira no Senado, onde presidiu a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) por dois anos. Ganhou notoriedade na CPI da Covid, participando como representante da bancada feminina, da qual é líder. A convenção do MDB oficializou o nome de Tebet como candidata à Presidência da República no dia 27 de julho, em evento online.

Sofia Manzano / Instagram / Reprodução
Sofia Manzano (PCB)

Natural de São Paulo, é economista, doutora em História Econômica pela USP e militante do PCB desde os 17 anos. Sofia Manzano é professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e foi candidata a vice-presidente da República em 2014, na chapa liderada por Mauro Iasi. Em convenção nacional realizada pelo PCB, em São Paulo, Sofia Manzano foi confirmada como candidata à Presidência da República.

Geraldo Magela / Agência Senado
Soraya Thronicke (União Brasil)

Nascida em Dourados (MT), a advogada Soraya Thronicke, de 49 anos, foi eleita senadora pelo estado do Mato Grosso do Sul, em 2018. Na eleição presidencial anterior, esteve mais identificada com o bolsonarismo, mas acabou se distanciando do presidente em meio à pandemia, quando adotou uma posição crítica a Bolsonaro durante a CPI da covid no Senado.  Graduada em Direito pelo Centro Universitário Anhanguera de Campo Grande (Unaes), em 2002, Soraya terá o economista Marcos Cintra, também do União Brasil, como vice em sua chapa. Após a desistência de Luciano Bivar, o partido anunciou a senadora como candidata no dia 5 de agosto.

PSTU / Divulgação
Vera Lúcia (PSTU)

Vera Lúcia é socióloga e tem 55 anos. Natural de Inajá, no interior de Pernambuco, foi operária da indústria calçadista, onde teve início seu envolvimento com o movimento sindical. Em 2020, foi a primeira candidata negra à prefeitura de São Paulo, recebendo 0,06% dos votos válidos. A convenção do PSTU oficializou o nome de Vera Lúcia como candidata à Presidência da República em convenção nacional do partido realizada em São Paulo.

GZH