Gisele Loeblein: disputa à vista na Cotrijuí

Cooperativa decide em assembleia, no próximo sábado, sobre liquidação voluntária

21/09/2014 | 20h38

Uma disputa entre a atual diretoria da Cotrijui e o grupo de oposição denominado Terceira Via poderá marcar a votação sobre a liquidação voluntária da cooperativa. A avaliação do pedido será feita em assembleia-geral extraordinária marcada para o próximo sábado.

Nos próximos dias, a Terceira Via discutirá a indicação de um nome para concorrer à posição de liquidante, pessoa que administrará o processo.

Leia todas as últimas notícias de Zero Hora

Caso seja aprovada a liquidação na assembleia, o conselho administrativo da cooperativa é destituído. Na mesma ocasião, é preciso escolher o liquidante (que pode ser mais de uma pessoa) e três conselheiros fiscais, explica o advogado Fernando Pellenz:

– A lei não impede que seja o atual presidente ou outro nome.

A opção pela liquidação voluntária, segundo o presidente, Vanderlei Fragoso, é a terceira etapa de um processo de reestruturação. Com o recurso, o objetivo, acrescenta, é devolver a saúde financeira da cooperativa, uma das principais do Estado, com capacidade para armazenar 1 milhão de toneladas.

As dificuldades são decorrentes de uma dívida de mais de R$ 500 milhões, acumulada ao longo de muitos anos. Só com a redução de custo operacional que vem sendo feita, Fragoso estima que haverá uma economia de R$ 200 milhões em quatro anos:

– Tudo o que projetamos, cumprimos de forma rigorosa. Ficou o passivo de uma dívida que cresceu. É elevada, mas nada que não possa ser solucionado.

Para a Terceira Via, a percepção é outra. O grupo faz campanha para que os associados compareçam na assembleia.

Com um patrimônio tão grande em jogo e impacto considerável para a produção gaúcha, é preciso muita cautela na hora de dar o próximo passo.

Clicrbs