Foi rápida a reunião do Diretório Estadual do PDT, realizada na noite desta quarta-feira em Porto Alegre. Os membros do diretório estadual derrubaram decisão da Executiva do partido,que haviam tomado a decisão de hipotecar apoio a José Ivo Sartori pela manhã. Agora declararam a neutralidade do partido no segundo turno das eleições no Rio Grande do Sul, e a proibição de que membros do PDT participem de programas eleitorais de rádio e televisão de José Ivo Sartori, bem como de atos da campanha eleitoral. Adivinhem quem armou essa reação à direção partidária? Ganhou uma bala de côco quem cravou o nome do sabujão pedetista Alceu Collares, o empregada da soberana búlgara Dilma Rousseff, aquele que recebe uma polpudíssima remuneração pela reunião mensal do Conselho de Administração de Itaipu. Como diria Leonel Brizola, ele se farta de pratos de lentilha. Também estiveram ao lado dele personagens como Juliana Brizola, que não se reelegeu, a qual votou alinhada com o governo do petista grilo falante Tarso Genro nos últimos quatro anos. E ainda seu colega deputado Ciro Simoni, também empregado do petismo nos últimos anos. 
VideVersus