Crime ocorreu por volta das 3h, nas imediações da Avenida Teresópolis, em Porto Alegre.Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Após analisar câmeras de segurança e colher depoimentos de testemunhas, a Polícia Civil apresentou na tarde desta quarta-feira (10) mais detalhes sobre a investigação que apura a morte do soldado da Brigada Militar Gustavo de Azevedo Barbosa Júnior, 26 anos. O crime ocorreu por volta das 3h, nas imediações da Avenida Teresópolis, na zona sul de Porto Alegre.

Ainda durante a manhã, um suspeito, Luiz Vinicius Alves de Azeredo, 21 anos, foi preso. Ele tem antecedentes por homicídio, porte de arma e roubo a pedestre. Um adolescente de 17 anos também foi apreendido.

Os investigadores procuram ainda por Dejair Quadros de Almeira, 24 anos, foragido da Justiça e que também teria participação. Ele possui antecedentes por roubo de veiculo, tráfico de drogas e homicídio.

De acordo com o delegado Newton Martins de Souza Filho, antes do confronto que resultou na morte do PM, o trio havia roubado em sequência dois carros na Zona Sul. O último, um Ford Fiesta, também foi utilizado por volta das 2h para sequestrar uma mulher em uma casa no bairro Santa Tereza. A polícia apurou que ela seria ex-namorada de um integrante de uma facção que é rival da organização criminosa a qual os três pertencem. Eles queriam que ela os levasse até o homem para, possivelmente, executá-lo.

Polícia Civil / Divulgação
Almeida é considerado foragido da Justiça e Azeredo foi preso nesta quarta-feira (10), na Capital.Polícia Civil / Divulgação

— Em dado momento, quando cruzaram com a viatura da BM, a vítima do sequestro, que também é testemunha, relatou que inicio-se um momento de desacerto e pânico dentro daquele veículo entre os três, pois não sabiam se deveriam reagir ou fugir. Diante da aproximação da viatura, eles iniciaram os disparos, e houve o confronto — contou o delegado.

Segundo o delegado, a forte neblina que atingia a região no momento do crime pode ter dificultado a ação dos policiais. Ele destaca que os disparos contra a guarnição começaram antes mesmo dos dois policiais descerem da viatura.

— Havia bastante neblina e isso sempre dificulta, mas a atuação deles foi totalmente regular, dentro da cartilha policial. No entanto, houve essa fatalidade. Conforme o relato do policial que conduzia a viatura, enquanto o soldado ainda no banco do carona fazia contato com a central pedindo apoio para a abordagem, iniciaram-se os disparos. Os policiais nem sequer haviam descido — disse.

O delegado acredita que os três envolvidos tenham efetuado os disparos. Eles fugiram a pé logo após o confronto. As armas, duas pistolas 9mm e uma .40, foram abandonadas dentro do Fiesta, e a vítima do sequestro conseguiu deixar o local correndo, até ser socorrida por um morador. Ela não ficou ferida.

Além da cúpula da Segurança Pública do Estado, a coletiva de imprensa realizada no Palácio da Polícia também teve a participação do vice-governador, Ranolfo Vieira Júnior.

— Quando o criminoso atinge um policial, ele atinge o Estado como um todo. O policial é quem defende a sociedade lá na ponta. Foi um fato lamentável e neste momento queremos prestar toda a solidariedade para a família do soldado — destacou Ranolfo.

Gaúchazh