Em frente ao Palácio da Polícia, na Avenida Ipiranga, há oito detidos em carros da BMRonaldo Bernardi / Agencia RBS

A presença de presos em viaturas ou em celas de delegacias se tornou cada vez mais corriqueira no cotidiano da segurança pública gaúcha. Neste domingo (5), haviam pelo menos 106 pessoas nessa situação em Porto Alegre e Região Metropolitana.

A situação é mais crítica em Canoas, onde há 31 presos, 15 em celas da Polícia Civil e outros 16 custodiados pela Brigada Militar. Na Capital, o pior cenário é na 2ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento, no Palácio da Polícia, na esquina das avenidas João Pessoa e Ipiranga, onde há 18 pessoas em celas e viaturas.

No sábado (4), uma força-tarefa organizada pela Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) retirou de delegacias e viaturas 38 presos que aguardavam vagas no sistema. Segundo o órgão, o ônibus “trovão azul”passou nos distritos policiais da Capital recolhendo os detidos durante a madrugada e a manhã de sábado (4).

A Susepe chegou a informar que, com a operação, não restariam presos fora das cadeias. A ação amenizou o problema, mas não solucionou.  Na madrugada de sexta-feira, dois homens conseguiram fugir de uma viatura que estava estacionada em frente ao Palácio da Polícia, abrindo as algemas que estavam presas no volante e na porta traseira de uma Blaser. Nenhum PM percebeu.

Policiais civis e militares reclamam da situação de trabalho por causa das custódias provisórias. Além disso, presos acabam comendo com as mãos e tendo de dormir dentro dos carros da polícia.

O fim de presos custodiados em viaturas e delegacias é promessa do governo de Eduardo Leite (PSDB). O vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, declarou em abril que “a situação não pode e não vai continuar assim” e que o acontece é “lamentável”.

Ele apostou na criação de vagas no sistema prisional para solucionar o problema. O atual governo ainda não anunciou quantas vagas pretende criar e qual será o investimento. Na última semana, o vice-governador viajou para Itajaí, em Santa Catarina, para conhecer um complexo prisional considerado modelo no Brasil.

Ronaldo Bernardi / Agencia RBS
Presos são algemados em viaturas da Brigada MilitarRonaldo Bernardi / Agencia RBS

Os presos

Na Capital:
3ª DPPA: 5 em celas e 5 em viaturas

2ª DPPA: 8 em celas e 8 em viaturas

Canoas: 15 em celas e 16 com a Brigada Militar

Alvorada:  3 em cela e 3 com a Brigada Militar

Viamão: 5 em cela e 9 com a Brigada Militar

Gravataí: 6 em cela e 6 com a Brigada Militar

São Leopoldo: 8 em cela

Novo Hamburgo: 9 em cela

Gauchazh