Pontos turísticos oficiais

Através da Lei Municipal nº 1.921, de 08 de maio de 2007, oriunda de uma proposição do então vereador Valdez Krampe (PDT), foram oficializados 16 “Pontos Turísticos” no Município de Santo Augusto, locais destinados à visitação turística com relevância histórica/cultural e/ou natural. Sancionada pelo então prefeito Dodi (Carlos Leodony Andrighetto), também do PDT, a lei fixou como Pontos Turísticos no município, os seguintes locais: Praça Pompilio Silva; Centro de Cultura Benedito de Castro, incluindo o Museu Municipal e a Sala de Som Arnaldo Macagnan; Centro Administrativo Municipal; Centro de Tradições Gaúchas Pomipilio Silva; Monumento a Santa Rita; Centro de Tradições Gaúchas Carreteiros dos Pampas; Fonte Nossa Senhora do Bom Parto (Santinha); Cascata do Rio Turvo; Sítio Lazer Stival; Sítio de Lazer Rotili; Cemitério dos Degolados; Estância de Rodeios Nerci Liberato da Conceição; Marco onde foi degolado o “Quinzote”; Sepultura do professor Benedito de Castro.

Por que não atraem?

A justificativa sustentada desde a apresentação do projeto até a homologação visava divulgar o município, de modo a incentivar as pessoas a visitarem nossos atrativos, uma vez que podem gerar resultados positivos interno e externamente, oportunizando desenvolver mais fonte de receita municipal. Pois bem, apesar de simples, nossos pontos turísticos oficiais poderiam oferecer resultados positivos sim, mas infelizmente eles não atraem porque não houve, até agora pelo menos, por parte do poder público municipal o devido incentivo, nem na divulgação e nem na organização/manutenção, nem na acessibilidade e disponibilização de guias turísticos e de turismo aos visitantes. Do jeito que são tratados, os nossos pontos turísticos oficiais destoam da finalidade porque foram criados e, a impressão que se tem é de que há desinteresse e falta de incentivo na origem, o que reflete diretamente lá fora, no eventual visitante.

Aliás

As questões do turismo, em Santo Augusto, (dirigir e coordenar ações de integração com outros municípios, visando o desenvolvimento do turismo regional; incentivar e orientar novos empreendedores a investirem na área de turismo urbano e rural; incentivar, dirigir e coordenar a elaboração de projetos turísticos), estão afetas ao Departamento de Indústria, Comércio, Serviços e Turismo, órgão ligado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente. Acreditando no dinamismo da prefeita Lilian e sua equipe, espera-se atitudes para com o setor.

Lembrete da Polícia Civil

Em função do grande número de ocorrências envolvendo vítimas de golpes, a Polícia Civil gaúcha lembra à população que dispõe de uma cartilha virtual de cunho educativo que aborda uma variedade de golpes. Esse material pode ser acessado no link da PC: https://pc-admin.rs.gov.br/upload/arquivos/202105/07174309-cartilhacrimes.pdf. A cartilha também está disponibilizada no aplicativo: PC Alerta, o qual ainda possibilita o registro de ocorrências pela Delegacia Online (DOL) e a realização de denúncias via WhatsApp. O PC Alerta pode ser baixado gratuitamente no Google Play e na Apple Store. Para mais informações do PC Alerta, acesse https://www.pc.rs.gov.br/policia-civil-lanca-nova-versao-do-aplicativo-pc-alerta-e-inclui-usuarios-do-sistema-ios

Tipos de golpes

A Polícia Civil já identificou inúmeros tipos de golpes que diariamente lesam a população menos avisada ou de boa-fé. Eis os mais comuns: Falso perfil whatsApp, Falso depósito por Pix, Auxílio emergencial, Bilhete premiado, Boleto falso, Book fotográfico, Carta de crédito contemplada em consórcio, Cartão de crédito clonado, Chave aleatória do Pix, Clonagem do whatsApp, Depósito com envelope vazio, Falso aluguel de imóveis, Falso e-mail da Polícia Civil, Falso empréstimo, Falso leilão, Falso namorado, Falso sequestro, Falsos fiscais, Falso site, Fotos íntimas, Intermediador de vendas, Parente internado, Parente que quebrou o carro, Troca de cartão.

Gay – para 75,9% tanto faz

A revelação do governador Eduardo Leite (PSDB) de que é homossexual não rendeu, ainda, uma repercussão positiva eleitoral para sua pré-candidatura a presidente da República. A mais recente rodada nacional do Paraná Pesquisas/Coluna Esplanada indica que esse marketing político, se foi o caso, pode render apoio entre eleitores LBGTQ, mas não converte simpatia em votos. A Paraná perguntou: “O fato de um candidato a Presidente ser gay aumenta, diminui ou não altera sua vontade de votar nele?” Apenas 5,8% dos entrevistados disseram que ‘aumenta’, e para a grande maioria (75,9%) o fato ‘não altera’ a intenção de voto; 13,7% informaram que ‘diminui’. Outros 4,6% não souberam responder. A pesquisa ouviu 2.033 habitantes de 192 cidades de todos os Estados e Distrito Federal, de 15 a 19 de julho, em entrevistas pessoais telefônicas não robotizadas. Indiferentes, 75,9% responderam que tanto faz.

Programa Pavimenta

Numa iniciativa inédita no Rio Grande do Sul, o governador Eduardo Leite lançou no início de junho o programa PAVIMENTA, visando, em parceria com os municípios, melhorar a infraestrutura rodoviária para turismo e escoamento da produção, além de trazer mais qualidade de vida às pessoas. Dos R$ 170 milhões previstos para serem aplicados em obras de infraestrutura urbana, R$ 60 milhões serão disponibilizados pelo Estado e outros R$ 110 milhões são créditos com bancos públicos, como BRDE e Badesul. O Estado ajudará, também, no desenvolvimento de projetos de engenharia e infraestrutura rodoviária e na análise da viabilidade técnica das propostas existentes. Os municípios serão divididos em três faixas de investimento estadual. Aqueles com até 20 mil habitantes poderão ser contemplados com até R$ 1 milhão de investimento. Nos municípios com a população entre 20 mil e 200 mil habitantes, o valor poderá chegar a até R$ 2 milhões. Acima de 200 mil habitantes, pode chegar até R$ 4 milhões.

Municípios inscritos

Encerrou-se dia 21 o prazo para inscrição dos municípios no programa Pavimenta RS. Aqui da Região Celeiro se inscreveram e encaminharam projetos os municípios de Santo Augusto, Chiapetta, Coronel Bicaco e Três Passos. Eis os projetos encaminhados: Santo Augusto: Pavimentação (calçamento com pedras irregulares) de 2 quilômetros da estrada que liga a cidade à localidade de Costa do Turvo (prolongamento da Rua Bom Fim), melhorando o acesso a agroindústrias, ponto turístico (Santuário Nossa Senhora do Bom Parto) e melhorando o escoamento da produção agrícola; Chiapetta: Pavimentação asfáltica da estrada que liga a cidade aos reassentamentos Cristo Rei e Nova Conquista, pontos turísticos como Parque de Rodeios e Cascata do Rio Buricá, além de melhorar o escoamento da produção agrícola; Coronel Bicaco: Pavimentação da estrada que dá acesso ao Distrito de Campo Santo, melhorando o escoamento da grande produção agrícola da região, o acesso à barragem João Amado, ao Reassentamento São Sebastião 2, e ao potencial turístico do túmulo e da lenda da Mulher do Sol; Três Passos: Pavimentação asfáltica da Rua Gaspar Silveira Martins, escolhida em função de ser o acesso a vários serviços públicos, como UERGS, Polo UAB, Instituto Estadual de Educação Érico Veríssimo, Corsan e ESF Santa Inês, além de ser uma das vias de acesso ao município.

Ousadia e visão empreendedora

Santo Augusto e Três Passos merecem o reconhecimento pela grandeza dos projetos apresentados ao Programa Pavimenta. Mas, com relação aos prefeitos Jora, de Coronel Bicaco, e Eder, de Chiapetta, atrevo-me adjetivá-los como ousados e de visão empreendedora pelos projetos apresentados. O Estado disponibilizará, no máximo, R$ 1 milhão para cada município com até 20 mil habitantes. O restante é por conta do município, com recursos próprios e/ou com financiamento junto ao BRDE ou Badesul. No entanto, Jora e Eder foram ousados e criteriosos ao projetar, e com possibilidades reais de concretização, o asfaltamento de estradas vitais para o desenvolvimento econômico de seus municípios. Veja a seguir, as dimensões desses dois projetos.

Coronel Bicaco

O projeto prevê asfaltamento de 8,66 km da estrada de acesso a Campo Santo. O custo total da obra será de R$ 6.060.161,93. Por conta do valor alto, e visando aumentar as chances de aprovação, foi fracionado em 8 trechos, o que permite a análise individual de cada um deles, podendo assim viabilizar a aprovação, ainda que parcial da obra. O Projeto Técnico permite buscar outras fontes de financiamento.

 Chiapetta

O projeto prevê 5,2 km de pavimentação asfáltica, orçado em R$ 5 milhões. O Estado bancará, no máximo, R$ 1 milhão. Desde o nascedouro da ideia o prefeito tratou com o Poder Legislativo, obtendo apoio e aprovação unânime dos vereadores. A seguir, buscou apoiadores no meio empresarial, agricultores e pecuaristas. Se o Estado liberar o valor solicitado (R$ 1 milhão), a prefeitura usará R$ 2 milhões de recursos próprios e R$ 2 milhões serão financiados junto a instituições financeiras.