CRVA/Detran

Repercutiu, positivamente, a menção feita pela coluna, há duas semanas, quanto aos descasos relativos aos serviços do Detran na cidade. No passado tínhamos vistorias, registro e licenciamento de veículos, exames para habilitação e emissão de carteiras de motorista, remoção e depósito de veículos. Aos poucos, um a um, esses setores deixaram de existir aqui na cidade pérola. A prefeita Lilian, tão logo leu nossas alusões, agendou audiência com a direção do Detran na capital do Estado, e lá foi ela tratar do assunto. Recebeu a confirmação de que até o final do ano teremos um CRVA instalado e atendendo nossa população. Para corroborar, o ex-concessionário do CRVA, Fernando Scherer, informou à coluna que está requerendo a concessão novamente e prevê que muito em breve estará de volta prestando os serviços do Detran, mormente, os registros e licenciamento de veículos. É incrível, mas é verdade, Santo Augusto tem uma frota de 10.073 veículos registrados (segundo dados estatísticos do Detran), e não tem onde regularizá-los. Aí, ou trafega irregular, ou busca regularizar noutros municípios da região.

Aliás

A prefeita Lilian tem se empenhado, diferente de prefeitos anteriores, e corrido atrás de solução de problemas que dizem respeito ao dia a dia dos munícipes. Intercedeu junto à Secretaria de Segurança Pública pela designação de um delegado de polícia titular na DP, no que foi atendida; agora, na semana passada, na capital do Estado, junto aos órgãos respectivos, pleiteou um CRVA e um CFC; um caminhão de bombeiro e equipamentos para os operadores do sistema; mais policiais militares para a cidade. À coluna, a prefeita disse ter recebido bons indícios de suas demandas serem atendidas.

A dupla da inovação

A prefeita Lilian (DEM) e seu vice-prefeito Vanderlei (PDT) vieram com a proposta de inovar, introduzir novidades, fazer algo como não era feito antes na gestão pública municipal de Santo Augusto, cujo slogan de campanha foi: “Unidos para Inovar”. Pois bem, essa dupla de gestores, há 9 meses e meio no governo, de fato está inovando, cuidando, primordialmente, das necessidades básicas da população, sem descuidar do todo que está sob sua responsabilidade. Para começar, formou uma equipe de governo qualificada e comprometida com a gestão pública, em prol da sociedade, cuidando das pessoas em primeiro lugar. Basta olharmos para as questões sociais, cujo setor vem realizando um trabalho de excelência como nunca se viu antes por aqui; a questão do emprego, dado a carência da oferta de empregos na cidade, desde logo Lilian foi atrás e viabilizou, mesmo que noutros municípios, trabalho para várias dezenas de pessoas.

Empreendedorismo

No setor do empreendedorismo, onde os trâmites são bastante complexos, os projetos envolvem muitas questões técnicas, burocráticas, jurídicas, e busca de recursos (que a gestão Lilian/Vanderlei tem como prioridade número um, eis que gera emprego e renda, e por consequência, desenvolvimento socioeconômico), projetos importantes estão em andamento na linha do empreendedorismo e incentivos ao empreendedor. E muitas ações já foram levadas a efeito, em sintonia com os segmentos comerciais e industriais, com apoio de instituições técnicas. São ações que caracterizam a gestão inovadora.

A propósito

No setor de obras e serviços, urbano e rural, apesar das carências humanas (no sentido quantitativo) e de máquinas e equipamentos, tem um secretário de invejável atuação que, com a abnegada equipe de servidores disponíveis, atende as demandas da cidade e do interior de forma austera, atento às prioridades. Cumprimentos ao Chiru.

 Inovações na educação

Na área da educação também, a gestão Lilian/Vanderlei realiza e projeta inovações importantes. Uma delas é a implantação de uma Escola Cívico-Militar, já consolidada, aguardando apenas a realização do Processo Seletivo no comando da Brigada Militar para designação de PMs inativos para exercerem as funções de Monitor Cívico Militar, cujo edital já foi publicado. Também adotou o sistema de “uniforme” aos alunos de toda a rede escolar municipal, com distribuição gratuita dos uniformes, incluindo tênis, casaco, calça, camiseta, entre outros itens. Projeta adotar o turno inverso nas escolas municipais, com oficinas voltadas ao despertar desde cedo interesse e habilidades, preparando as crianças para pensarem no futuro.

Pra que uniforme escolar?

Ora, são várias as vantagens do uso de uniforme. Primeiro, como o próprio nome diz, uniformiza, padroniza e identifica aluno/escola. Com ele, diminui o bullying e favorece o conceito de igualdade; dá mais segurança aos alunos, o uniforme dá maior visibilidade no seu trajeto para a escola ou para casa; fortalece os vínculos, de estudantes e sua família, com a escola e o sistema educacional; e, fundamentalmente, é uma forma de apoio e estímulo a famílias carentes, muitas vezes com vários filhos em idade escolar, e cujo provimento de roupas para todos acaba sendo um gasto pesado para a família.

Enfim

Ações inovadoras foram várias nestes primeiros nove meses da gestão Lilian/Vanderlei. Além das citadas, certamente há muitas outras, como o atendimento ininterrupto de 12 horas, de segunda a sexta-feira, no Posto Central de Saúde, com médico presente, das 7h às 19h, diariamente. Enfim, são novos tempos. É a Nova Administração Pública, exigindo que os gestores tenham competência e capacidade de implantar uma gestão que vise atender as necessidades da população de uma maneira eficiente e eficaz.

Porém…

Falei da gestão inovadora de Lilian/Vanderlei, de atos e ações que merecem destaque e o devido reconhecimento da população. Porém, Lilian e Vanderlei têm sobre seus ombros o compromisso de cumprir com as demais promessas feitas ao eleitor na campanha, que não são poucas. Por óbvio, nem todas as promessas vão ser cumpridas. Vai haver cobrança, claro. Mas roga-se e espera-se que façam o máximo, continuem com esse dinamismo e essa vontade de, enquanto poder público, promover o bem comum.

Falando em bem comum…

A atividade política é um inestimável serviço de dedicação em vista do bem comum na sociedade. A atividade política é antes de tudo um serviço. Ela não é serva de ambições individuais, da prepotência de grupos e de centros de interesses. Como serviço ela não pode pretender regular todas as dimensões da vida das pessoas, caindo numa espécie de autocracia e totalitarismo. Compreendida como serviço à sociedade, ela pode ser considerada um serviço de sacrifício e de dedicação, a tal ponto que, às vezes, se pode considerar as pessoas empenhadas na atividade política como “mártires” de causas em favor do bem comum. A atividade política requer constância, empenho e inteligência. O objetivo maior é o bem comum, sem o qual os direitos e as aspirações nobres das pessoas, das famílias e das instâncias intermediárias da sociedade não podem realizar-se plenamente. O bem comum “compreende o conjunto das condições de vida social que permitem aos indivíduos, famílias e associações alcançar mais plena e facilmente a própria perfeição”. Dom Jaime Spengler – arcebispo metropolitano de Porto Alegre.

Segurança Pública

Alguém pode estar questionando o porquê do empenho da prefeita de Santo Augusto com relação aos órgãos de segurança pública. É o reflexo da gestão inovadora. Porque uma sociedade para prosperar necessita sentir-se segura em todo o conceito do termo, preservação da segurança física e patrimonial. Pegamos um exemplo. O empreendedor para prosperar com a atividade que pretende desenvolver atenta para, além das funções administrativas básicas, o fator de segurança pública e ações públicas sólidas que lhe garanta pelo menos a preservação do seu patrimônio e até, pra que não dizer, da própria vida. É neste cenário e com estes percalços que muitos empreendedores se deparam quando planejam se instalar e contribuir com a geração de postos de trabalho e aumento da renda, para o desenvolvimento local. Enfim, a insegurança pública não é o único fator condicionante para travar o desenvolvimento social e econômico de um lugar, mas contribui para que isto ocorra. Eis aí um dos motivos do empenho da prefeita.

Papel do município

O que poucos sabem e que muitos prefeitos ignoram, é que o município naquilo que lhe compete no ordenamento público, deve exercer sua competência em ações na Segurança Pública, no campo da prevenção, através de ações educacionais, de saúde, esporte, lazer, cultura entre outras funções típicas de esfera municipal. Basta apenas mudar a lente e não ver apenas Educação como escola; Esporte como campo de futebol; Lazer como diversão; Cultura como faz de conta; Saneamento como manilhas de esgoto; Saúde como posto médico, “mas entender que todas essas políticas convertidas para a prevenção podem sim compor a Segurança Pública Municipal, pré-conflito”. É preciso integrar as políticas públicas entendendo que essa conversão de esforços são estratégias de Segurança Pública também, pois quando educação, saúde, esporte, lazer, cultura, saneamento básico e demais políticas estão integradas, naturalmente os índices de criminalidade são mínimos, dado seu potencial de prevenir conflitos. Pensem nisso!