Perto de completar um ano do primeiro caso de coronavírus, o Rio Grande do Sul vive o pior momento da pandemia. Na sexta-feira (19/2), o governo divulgou o mais grave mapa do Distanciamento Controlado até aqui, com 11 regiões em bandeira preta, o que significa 68% da nossa população em áreas classificadas como de risco altíssimo.

Diante disso, o governador Eduardo Leite assinou um decreto com medidas mais restritivas por 10 dias e divulgou um pronunciamento neste sábado (20/2), ressaltando a necessidade de colaboração de todos.

“Enquanto a vacina não chega, precisamos do envolvimento de todos. Tomara que as restrições da próxima semana encontrem a consciência de cada gaúcha e gaúcho e produzam os efeitos imaginados. Cuidem-se”, ressaltou o governador no vídeo.

Decreto 55.764 determina a suspensão geral de atividades, incluindo estabelecimento de atendimento ao público, reuniões, eventos, aglomerações e circulação de pessoas tanto em áreas internas quanto externas, públicos ou privados, entre 22h e 5h, todos os dias, a partir deste sábado (20) até as 5h do dia 2 de março.

“Este horário tem gerado as maiores aglomerações irresponsáveis, e é preciso, neste momento, desestimular a circulação e a presença das pessoas nas ruas”, esclareceu o governador.

De acordo com Leite, o monitoramento de dados em tempo real e as projeções realizadas pelo governo com a colaboração de pesquisadores e especialistas mostram que “o quadro é extremamente delicado e crítico”, o que levou à decisão pela aplicação de medidas mais severas.

Para demonstrar a gravidade da situação no RS, o governador mostrou dois gráficos. Um com as internações em leitos clínicos, que indica que o que pode ser considerada como uma “terceira onda”, pois há uma curva bem mais inclinada do que nas duas ondas anteriores, com 854 internações em um período curto, de 12 dias, com um salto de 64%. O outro é com dados sobre hospitalizações em leitos de UTI, em que se verifica que, em nove dias, o Estado registrou 191 internações, um crescimento de 22,1%.

DC 42 slide 21a
DC 42 slide 22

“Claramente, a doença ganhou velocidade e potência. Também estamos convivendo com novas variantes do vírus, o que amplia a necessidade de cuidado e também nos desafia e buscar novas respostas. Nossas decisões seguem sendo tomadas levando em conta a ciência e a conciliação entre a preservação de vidas e a manutenção de empregos. Neste momento, precisamos ter ainda mais serenidade para procurar compreender o que está acontecendo com o vírus e que tipo de reação pode ser mais eficaz”, alertou Leite.

Durante o pronunciamento, o governador ainda lembrou que o RS fez uma intensa ampliação de leitos desde março do ano passado, com mais de 100% de expansão dos leitos de UTI adulto SUS, e que segue trabalhando no aprimoramento de protocolos e medidas de enfrentamento à pandemia em diálogo com a sociedade.

Nesta segunda-feira (22/2), o governador irá se reunir com o Conselho de Crise para o Enfrentamento da Epidemia Covid-19, que é formado por secretários de Estado, chefes de outros Poderes e representantes de entidades, federações e órgãos públicos, e com a Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) para avaliar as medidas já tomadas e outras que possam ser adotadas.

O resultado dos encontros deverá ser divulgado publicamente ainda na segunda (22), quando também será anunciada a análise dos eventuais pedidos de reconsideração ao mapa preliminar e o mapa definitivo da 42ª rodada do Distanciamento Controlado, válido de 2 a 8 de março.

Portanto, os protocolos das respectivas bandeiras finais de cada região só passarão a valer na terça (23). Contudo, a suspensão geral de atividade já começa às 22h deste sábado (20/2).

Texto: Vanessa Kannenberg
Edição: Marcelo Flach/Secom