No hotel em que se hospedou em Juiz de Fora, as diárias foram pagas adiantadas e em dinheiro.

No quarto de Adelio, a polícia encontrou quatro aparelhos celulares e um Notebook. Nada mal para um desempregado.

Há indícios de que Adelio vinha acompanhando o deputado Jair Bolsonaro em sua campanha nos últimos dois meses, sempre se hospedando em hotéis, comendo, bebendo e tramando o crime.

Por outro lado, o perfil de Adelio no Facebook foi apagado nesta sexta-feira (7). O rapaz está preso. Parece óbvio que foi o grupo terrorista que tomou a iniciativa.

Fica o questionamento: Quem bancava Adelio?