Fortunati dá nota 9 à atividade, mas reconhece preocupação com atraso.

Secretário estadual da Segurança minimiza demora de cerca de 40 minutos.

 

Do G1 RS

 

 
2 comentários
Na simulação, socorristas isolaram área para atendimento de feridos em briga (Foto: Estêvão Pires/G1)Na simulação, socorristas isolaram área para atendimento de feridos em briga (Foto: Estêvão Pires/G1)

O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati, elogiou o teste de ações de segurança visando à Fan Fest, evento da Copa do Mundo de 2014, realizado na manhã deste sábado (22) em Porto Alegre. Após o encerramento da atividade que teve simulações de briga, ameaça de bomba e resgate em helicóptero, ele foi questionado sobre que nota daria ao trabalho dos órgãos de segurança e saúde.

Fan Fest Porto Alegre (Foto: Estêvão Pires/G1)Técnicos do IGP participaram da atividade

(Foto: Estêvão Pires/G1)

"Eu daria um 9. Já podemos afirmar claramente que essas equipes estão preparadas para ter sintonia", respondeu, referindo-se aos diferentes órgãos envolvidos na simulação.

O teste ocorreu com cerca de 40 minutos de atraso. Segundo os organizadores, devido a uma falha no sistema de som. O prefeito reconhece que a situação é preocupante, mas diz que o ajuste de possíveis erros é o objetivo da atividade. "Preocupa, mas esse era momento certo para isso ocorrer. É um momento de ajustar tudo", afirma.

O secretário estadual de Segurança Pública, Airton Michels, também acompanhou a atividade e minimizou a relevância do atraso. "O que queremos é que, após o início do ensaio, as coisas funcionem perfeitamente", disse.

Torcedor simula ter levado facada durante briga de torcidas (Foto: Reprodução/RBS TV)Torcedor simula ter levado facada durante briga de

torcidas (Foto: Reprodução/RBS TV)

Com apoio de 575 pessoas entre atores, monitores e servidores de órgãos públicos, foi simulada uma briga entre torcedores e uma ameaça de bomba no Anfiteatro Por do Sol.

Segundo as autoridades, a Fan Fest será realizada diariamente ao longo do Mundial, entre as 10h e as 22h, e poderá receber um público máximo de 20 mil pessoas no local. Uma cerca de 3 metros de altura e catracas de acesso viabilizarão o controle do público. Além da transmissão dos jogos, serão realizados shows, apresentações e atividades culturais.

Durante o teste, cerca de 200 jovens militares representaram torcedores acompanhando a transmissão de uma partida. Segundo o roteiro, um tumulto ocorreu em meio ao público, no qual 45 pessoas ficaram feridas. A segurança privada não conteve a briga, e o Batalhão de Choque da Brigada Militar foi acionado.

Na sequência, é detectada uma ameaça fictícia de bomba e policiais dos grupos de ações táticas da Polícia Civil e Brigada Militar checaram o artefato. Além disso, agentes da Secretaria de Saúde, bombeiros e socorristas prestaram auxilio aos feridos na confusão.

Novo equipamento será legado, diz capitão

Fan Fest Porto Alegre (Foto: Estêvão Pires/G1)Brigada Militar usou central de monitoramento com 16 câmeras (Foto: Estêvão Pires/G1)

A simulação contou com apoio de um equipamento adquirido para a Copa do Mundo. Trata-se de uma plataforma de observação elevada administrada pela Brigada Militar, e possui uma torre com 16 câmeras de monitoramento com capacidade para flagrar movimentos suspeitos. Elas ficam suspensas em uma espécie de mastro de 15 metros de altura.

"Já testamos ele no jogo entre Grêmio e Newell’s na Copa Libertadores da América, mas a partida foi tranquila e tinha um perfil diferente da Copa do Mundo. O perímetro de alcance é enorme. Este será o legado que a Copa deixará", disse ao G1 o capitão do Batalhão de Operações Especiais (BOE) da BM, Rodrigo Schoenseldt.

 

tópicos:

veja também
 
  •  
  •