Em uma entrevista para o jornalista Políbio Braga, o tenente-coronel Riccardi Guimarães, presidente da Associação dos Oficiais da Brigada Militar, não poupou críticas ao governo do Estado do Rio Grande do Sul, o peremptório "grilo petista" Tarso Genro. Veja a entrevista:

– O que foi que o senhor conversou com o prefeito José Fortunati ?

– Sugeri que ele declare imediato estado de calamidade pública em Porto Alegre. Ele que tenha coragem e faça isto, porque os gaúchos vão aprová-lo. Esta é uma hora de decisão em favor da maioria do povo.

– Por que razão ?

– Ora, você está vendo! O comandante em chefe da Brigada, governador Tarso Genro, submete a Brigada à humilhação de descumprir a lei e não garantir o direito constitucional de ir e vir, incorrendo em crimes de responsabilidade e de prevaricação. Lamento que a Brigada esteja sob o

comando deste cidadão.

– O que deveria acontecer ?

– A Brigada, nos seus 170 anos, nunca interveio em crimes, como os que acontecem agora, apenas para observar e olhar. Nossos homens não são olheiros e nem ouvidores, mas são guardiões da lei e protetores da ordem pública. Como é que as forças de segurança não protegem os trabalhadores que querem trabalhar, que são agredidos dentro dos seus ônibus, como ocorreu no sábado? Isto tudo é uma enorme desordem. E é intolerável que seja assim.

– Além de falar com o prefeito, o que o senhor propõe ?

– Estranho que o Ministério Público esteja tão quieto e não intervenha para restabelecer o primado da ordem em Porto Alegre, que está sendo violada pelo próprio governo estadual.

VideVersus