Prefeito Antônio Sartori e a diretora Verlaine do IFFar

 

Segunda-feira (26), sob a intermediação do empresário Renato Marodin, diretor do jornal O Celeiro, no escritório da empresa, a diretora do IFFar Campus Santo Augusto, Verlaine Gerlach, logo após ter concedido entrevista à Rádio Ciranda, foi surpreendida com a presença do prefeito Antônio Sartori, de Campo Novo, que ali compareceu para,  especialmente, falar com ela.

Mas a surpresa não foi a presença do prefeito, e sim a notícia que ele veio dar à diretora, ou seja, comunicar-lhe que estaria disposto a prestar sua colaboração em nome de seu município, com relação à área de terra ainda pendente quanto ao curso de Agronomia.

Sartori disse à diretora que vem acompanhando o desenrolar dos fatos em torno do assunto, principalmente a polêmica dos últimos dias envolvendo prefeito e vereadores de Santo Augusto relativamente ao PL apresentado que trata da aquisição da área citada.

Na conversa com a diretora o prefeito Sartori disse que como é um curso de agronomia e que interessa a toda a região, aqui estava para ver da possibilidade da Administração Municipal de Santo Augusto juntamente com a Câmara Municipal de Vereadores chegar a um entendimento através do diálogo, pelo consenso, e que a Faculdade de Agronomia fique em Santo Augusto.

Sartori reforça que acredita no entendimento, certo de que o que houve foi falta de diálogo e de mais conversação entre prefeito e vereadores santoaugustenses antes do projeto ter sido encaminhado, para que quando lá tivesse chegado, fosse devidamente aprovado.

Mas, se por uma eventualidade corra-se o risco de perdermos a faculdade de agronomia em função de não haver esse entendimento, estaria, na condição de administrador público, prefeito de Campo Novo, disposto a disponibilizar 25 hectares de terra, desde que a Câmara de Vereadores e a comunidade de Campo Novo entenda que é importante mantermos a Faculdade de Agronomia aqui na Região, para que o IFFe se instale em seu município.

Sartori apela e conclama que o curso de agronomia, já instalado e em funcionamento, não se perca “simplesmente pela vaidade pessoal ou partidária”, uma vez que quem ganha ou quem perde é a população.

O prefeito camponovense, em seu gesto de apoio ressalvou que não está entrando no mérito da questão, mas que gostaria que as autoridades de Santo Augusto envolvidas na questão sentassem preocupadas no bem comum, no bem-estar da comunidade, no crescimento e desenvolvimento do município e Região, e que chegassem a um consenso de modo que o curso aqui permaneça.

Contudo, ressalvou que no caso de não se entenderem, o município de Campo Novo está oferecendo, disponibilizando espaço para que a faculdade de agronomia lá se instale, uma vez que estão dispostos a participar desse projeto, sem dúvida.

Ao finalizar a conversa com a diretora, Sartori disse reconhecer que seria ruim desmembrar o curso, uma parte ser feita aqui e uma parte em Campo Novo. Mas enfatiza que existe essa possibilidade e que está abrindo as portas de Campo Novo para o Instituto Federal Farroupilha, desde que não haja o entendimento aqui no município. Afinal, “estamos aqui tentando participar de uma forma regional de pacificação desta questão”, concluiu o prefeito Antônio Sartori.