O PMDB do Rio Grande do Sul fechou acordo com o PSB, e o deputado socialista Beto Albuquerque será o candidato ao Senado Federal. O partido não deixa outra alternativa aos peemedebistas gauchos senão o voto em Lasier Martins, do PDT, ou Marchezan Jr, do PSDB. A gerontocracia do PMDB do Rio Grande do Sul fez vista grossa ao fato e que peemedebista gaúcho não vota em petista ou aliado de petista, e o socialista Beto Albuquerque esteve no governo do peremptório governador petista "grilo falante" Tarso Genro até poucos meses atrás. É uma alma pena do petismo. O PMDB do Rio Grande do Sul jogou na lata do lixo todas as suas lideranças expressivas para entregar o partido nas mãos de Marina da Silva, a "santinha da floresta", encantos do senador Pedro Simon. O PMDB do Rio Grande do Sul liquidou com a carreira de José Fogaça, Ibsen Pinheiro, Germano Rigotto e outros. O partido decretou a sua própria morte. A propaganda na televisão e nos rádios de José Ivo Sartori, candidato ao governo do Estado, dizendo que o problema do Rio Grande do Sul é de gestão, é de doer na lama. Ana Amélia Lemos, candidata do PP ao governo gaúcho, já pode mandar confeccionar o tailleur para a posse no Palácio Piratini, porque a cada dia mais se configura a sua vitória.

VideVersus