O governador de Pernambuco e presidenciável Eduardo Campos (PSB) afirmou que a decretação das prisões dos envolvidos no processo Mensalão do PT pelo Supremo Tribunal Federal “era um fato mais do que esperado”. “A sociedade já conhecia a decisão do Supremo e já entendia que na verdade havia um processo de procrastinação utilizando-se as brechas do Código Penal para que a decisão fosse efetivada”, avaliou. “Finalmente o próprio Supremo entendeu que era a hora de fazer cumprir a pena”. O governador falou sobre o assunto na tarde desta quinta-feira, depois de participar de um evento do seu governo com a Unicef. Indagado sobre a afirmação de Fábio Corrêa, filho de um dos condenados, o ex-presidente nacional do PP, Pedro Corrêa, de que o Mensalão foi simplesmente repasse de recurso de campanha e que todo político faz isso, Eduardo Campos foi enfático: “A legislação brasileira define claramente como se repassa dinheiro para campanha; tem conta específica, tem que ser declarado, tem que se apresentar as contas para o Tribunal Superior Eleitoral. É assim que se faz. Se tem alguém que faz de outra forma, esse alguém tem que responder na forma da lei”.

Fonte> VideVersus