Do UOL, em São Paulo

Felipão convoca a seleção para a Copa – 11 vídeos

 

Aparentando tranquilidade e esquecendo até das tradicionais bufadas, Luiz Felipe Scolari falou por mais de 40 minutos em entrevista coletiva a 800 jornalistas, nesta quarta-feira. Após divulgar a lista de convocados para a Copa do Mundo, respondeu as perguntas, deu recados claros (e outros nem tanto) aos jogadores, imprensa e torcida. Ele manteve a sua linha de defender ambiente familiar e de bom relacionamento entre os convocados (vale lembrar a Família Scolari em 2002) e também fez questão de se colocar como escudo dos convocados.  

UOL Esporte ajuda a decifrar algumas das mensagens de Felipão.

FOME É MAIS IMPORTANTE QUE EXPERIÊNCIA

 

 

O QUE ELE DISSE: "Para nós, como todos jovens, eles jogam com prazer. Eles não são apenas profissionais, eles gostam do que fazem. O que precisamos fazer é que eles desenvolvam esse gosto e mostrem um futebol mais equilibrado. É mais fácil desenvolver com jogadores jovens do que com aqueles que estão no fim da carreira. Eles têm ambição"

O QUE ELE QUIS DIZER: Felipão deixou claro na lista e no discurso que "fome" é mais importante do que bagagem. O técnico até admite que chamou jogadores menos experientes em Copas que nos outros torneios, mas sempre que admite isso faz questão de defender os seus escolhidos.  

RISCO É MEU!

 

 

O QUE ELE DISSE: "É um jogador que eu confio. Gosto do futebol dele. Segue"

O QUE ELE QUIS DIZER: De forma seca o técnico respondeu a pergunta sobre Henrique. Depois, até admitiu que a sua escolha foi a última a ser feita, mas deixou claro que é um nome seu. Como costuma fazer, o técnico assumiu para si o risco da escolha. Até porque o que é levar um Henrique questionado para quem abriu mão de um Romário aclamado pela torcida e crítica em 2002? O final da história todo mundo conhece…

FELIPÃO AJUDA PARA RECEBER DEPOIS

 

 

O QUE ELE DISSE: "Nós vamos conversar com o Marcelo para ver o que ele vai precisar. Se ele pode jogar no dia 24 e viajar no dia 25 para o Brasil. Mas privar um jogador de voltar ao país de seu clube para participar da festa se o time for campeão eu não acho justo. Vou conversar com o Marcelo para saber como vamos compor isso"

O QUE ELE QUIS DIZER: Assim como fez com Neymar em 2013, durante a Copa das Confederações, quando liberou o principal astro durante a preparação para ele ser apresentado no Barcelona, Felipão disse que pode deixar Marcelo se atrasar na chegada pela festa do Real Madrid. Isso se o time do brasileiro vencer a final contra o Atlético. A estratégia é antiga. O técnico dá para receber em troca no futuro. Agrada e ganha confiança do jogador para poder cobrar depois. Em 2002, Felipão chegou a cancelar um jogo que cairia no carnaval para "agradar" os boleiros.

VETO À "FESTA" NA GRANJA

 

 

O QUE ELE DISSE: "Espero que tenham o bom senso de que nós recebamos A B ou C, podemos convidar A B ou C. Mas espero que saibam que este é o momento de focar na seleção brasileira, espero que tenham esse respeito. Não podemos também abrir portões, a Fifa não permite. Quando pudermos vamos abrir os treinamentos para 10 ou 20 pessoas. Não somos nós apenas que pretendemos ficar um pouco mais resguardados. Vamos nos resguardar e abrir de forma organizada. Amigo, família, irmão, cachorro, não não não…aí não dá. Se jogador não se quiser, que vá  pra casa ficar com o seu cachorro"

O QUE ELE QUIS DIZER: O trauma de 2006 ainda existe na seleção. Com Parreira, técnico na época, ao seu lado, Felipão faz questão de agir e divulgar que não quer "festa" na preparação. Por isso e para isso faz questão de deixar claro que vai barrar políticos, patrocinadores e imprensa. Quando fala de torcida, salienta que a escolha não é sua, que é algo imposto pela Fifa. Especialistas em motivar jogadores, Scolari aprendeu ao longo da carreira a falar com o povo… Ficar com o ônus de fechar as portas para políticos, cartolas, patrocinadores, tudo bem, mas virar vilão da torcida nunca. 

FELIPÃO PAIZÃO 

 

 

O QUE ELE DISSE: "Não sou eu que faço essa blindagem. Vocês também ajudam no momento em que vocês entendem que um jogador que participa de todas as entrevistas, de situações que ele precisa ser preservado e assumir as coisas. A assessoria da CBF dá ideias e nós resolvemos: "isso não e pronto". Você o preserva como se fosse o pai dele ou como alguém que pode definir a situação dele. Ele é jovem, mas toma decisões. Mas quando a gente pode ajudar, ajuda. É o que temos feito desde que chegamos à seleção brasileira"

O QUE ELE QUIS DIZER: Scolari primeiro minimiza o seu papel na "blindagem" do seu principal astro, mas depois deixa claro que quer agir como um "pai". Foi assim no último amistoso da seleção brasileira, em março, na África do Sul. Neymar chegou a saiu calado. Em meio a polêmicas no Barcelona, foi poupado pela de ser questionador pelos jornalistas sobre seu contrato e problemas técnicos na Catalunha. Como costuma acontecer, a ideia "proteção" teve participação do técnico, que faz questão de mostrar isso aos seus jogadores.    

Ampliar

Caras e bocas: Felipão vira piadista em convocação para a Copa10 fotos

2 / 10

Sobre o clima de sua segunda convocação para a Copa do Mundo: "Na última convocação, eu sabia que não seria bem recebido no Rio. Então, quando foram me buscar no aeroporto, eu já estava lá (no local do anúncio da convocação). Agora, eu até andei pela praia" Julio Cesar Guimaraes/UOL

 

Goleiros
  • Julio Cesar 

    Toronto FC (CAN)

  •  

  • Jefferson 

    Botafogo

  •  

  • Victor 

    Atlético-MG

Laterais
  • Daniel Alves 

    Barcelona (ESP)

  •