Conjecturas

Não é uma indicação, até porque isso não me cabe. Porém, nada me impede de opinar quanto ao que penso sobre os possíveis futuros candidatos a prefeito de Chiapetta, no ano de 2016. Pode parecer ainda muito cedo, mas como político não dorme de touca, as evidências começam aparecer. O prefeito Osmar Kuhn (PP) como já está em segundo mandato, não poderá concorrer, mas vai preparar o sucessor dentro de sua sigla. Sabe-se de sua preferência por Eder Both, mas me arrisco opinar que a candidata será a professora Roci Salete Pires Souto. Na oposição, se analisarmos racionalmente o quadro, o nome será o da professora e vereadora Célia Vargas Padilha (PT). Caso isso aconteça, vai oportunizar que Chiapetta tenha, pela primeira vez, uma mulher como prefeita, aliás, diga-se de passagem, são dois nomes qualificadíssimos. É conjectura.    

 

Emergência nas rodovias

O governador Tarso Genro e o secretário da Infraestrutura e Logística João Victor Domingues assinaram quinta-feira da semana passada (17/10), Decreto de Emergência para recuperação de 62 trechos em 28 rodovias estaduais, totalizando 808 quilômetros. O Decreto, segundo a direção do Daer, possibilitará maior agilidade na execução dos projetos das obras, uma vez que permitirá a contratação na modalidade de dispensa de licitação. Incluem-se em situação de emergência os serviços de reparos localizados, recuperação de pavimentos e elementos de drenagem em locais críticos, recuperação de sinalização e, projetos de serviços de engenharia. A emergencialidade tem prazo máximo de seis meses, podendo ser interrompida na medida em que os contratos oriundos de processos licitatórios tiverem ordem de início.

 

RS-155 foi contemplada

Entre as rodovias abrangidas pelo Decreto de Emergência para recuperação, está a RS-155, aliás, a única da Região Celeiro contemplada, apesar de haver, também, outras estradas estaduais em precárias condições de trafegabilidade, como a RS-207 (Humaitá/Crissiumal, a partir da BR-468); Campo Novo/Braga e RS-155/Chiapetta, por exemplo. Quanto à recuperação da RS-155, um fato chama a atenção: a rodovia, compreendida entre a BR-285 (Ijuí) e BR-468 (divisa de Santo Augusto/Campo Novo) tem extensão de 80,88km. Pelo decreto emergencial de recuperação da RS-155 serão recuperados 68,42km, compreendidos entre BR-285 (Ijuí) e o trevo de acesso à cidade de Santo Augusto. Sem nenhuma menção do motivo, 12,46 km não serão recuperados. 

 

Licença médica

Há duas ou três semanas ouvi breves comentários de dois vereadores de Santo Augusto envolvendo licenças médicas por parte de alguns servidores públicos para fins não justificáveis como viajar, visitar parentes. Essa prática, caracterizada pela ausência ao trabalho, denominada absenteísmo-doença, é um grande problema, principalmente na esfera pública. Ela inclui fatores psicossociais, econômicos e ao ambiente de trabalho, que gera custos diretos e indiretos para toda a sociedade. No serviço público o servidor, principalmente o estatutário, possui uma imagem cercada de mitos a respeito de regalias e isso dificulta a compreensão do adoecimento nessas pessoas. São práticas características do servidor sem comprometimento e responsabilidade.

 

Justificativas

Informalmente, esses servidores alegam como justificativas a falta de estímulo, más condições de trabalho e salário baixo, e por isso não são comprometidos no trabalho. Mas como fica a sua consciência ao colocar a cabeça no travesseiro? Quais valores que eles estão ensinando para os filhos? Afinal, se a escolha foi de trabalhar nessa profissão, então seja um profissional responsável, foque na qualidade do que faz. Os profissionais de sucesso sempre dão a melhor resposta diante das piores adversidades. O site da prefeitura de Santo Augusto apontava, dia 23, “17 servidores em licença”. Se atentarmos para os comentários feitos na Câmara, que tal o prefeito determinar visitas surpresas para certificar-se da real situação dos servidores em licença.