Mobilização pela ERS-155

Na próxima sexta-feira, 18 de julho, das 08h às 16h, na ERS-155, km 63, entroncamento da ERS-571, no município de Santo Augusto, junto ao trevo que vai para Chiapetta, haverá grande concentração reunindo usuários da rodovia, motoristas, agricultores, empresários, estudantes, transportadores, autoridades, funcionários públicos, população em geral dos municípios de Santo Augusto, Chiapetta, São Valério do Sul, Inhacorá, Coronel Bicaco, São Martinho, Campo Novo, enfim, de todos os municípios da Região Celeiro que têm a ERS-155 como seu único caminho para se deslocar a Ijuí e região central do Estado, missões e fronteira sul. Caminhões, ônibus, tratores e máquinas agrícolas também serão levados para o local. Tudo objetivando chamar a atenção do governo do Estado sobre as más condições da rodovia.

 

Só reclamar não resolve

A iniciativa do movimento partiu de um grupo de usuários da rodovia que, via redes sociais, somaram mais de quatrocentas pessoas. Lideranças do movimento de forma organizada mantiveram contato com as autoridades e, junto à Polícia Rodoviária Estadual formalizaram a comunicação e solicitação de apoio e orientação para o evento. Portanto, a PRE estará presente para controlar a liberação do trânsito que acontecerá em intervalo de duas em duas horas, assim como administrar os casos de emergência. Há anos nós, usuários da ERS-155, aguardamos pela prometida reforma dessa estrada, mas diante de tantos descasos, é o momento de pararmos de nos queixar e partirmos para a ação. Por isso, compareça e participe do protesto, faça sua parte. Gostaria de ver os prefeitos liberando os funcionários para que se engajem aos demais integrantes do movimento, por entendermos ser essa uma forma de protesto das prefeituras, ante tantos pedidos já feitos pelos prefeitos e não atendidos.  

 

Jornalismo e a verdade

É de domínio público que os meios de comunicação se revelam como o quarto poder na sociedade. Por isso, devemos descobrir a importância do jornalismo e do jornalista, e como estes contribuem no aperfeiçoamento da sociedade, principalmente no tocante às reflexões e no auxílio do processo de democratização das ideias, conceitos e estruturas vigentes. Considero que a imprensa, dada sua história, evolui como importante meio de comunicação, e assim incita as classes políticas a mostrar seus interesses por esse meio de divulgação pública. A atividade do jornalismo é na sociedade contemporânea, muitas vezes, uma máquina simbiótica que tem por objetivo vender seu produto: a notícia. O papel do jornalista, nesse sentido, não pode ser unicamente o de apresentar os fatos, pautado pela ética e pela busca da verdade. É importante que ele tenha consciência do que seja a verdade.

 

Agente transformador

Cabe aos profissionais da informação ir além da simples captação da informação. Ele deve ser um agente transformador da sociedade e, através de sua profissão, sensibilizar e criar alternativas de modificação do contexto social. Sabemos que o jornalista e o jornalismo precisam pensar e repensar sua função junto à comunidade em que estão inseridos. O papel do jornalista como agente conciliador, gerador e modificador de contextos, mediante seu papel de transformação pode criar melhorias para a sociedade. A preocupação com um jornalismo sério, e que de fato cumpra com sua verdadeira intencionalidade, mostra que refletir e encontrar as verdadeiras razões da sua existência é fundamental. É assim que pautamos nosso dia a dia jornalístico.

 

Tempos de Campanha

Convivemos com mais uma campanha eleitoral. Período em que o leitor/eleitor precisa avaliar com detalhes em quem vai confiar o seu voto, qual candidato, efetivamente, tem condições de cumprir promessas de melhoria na saúde, educação, segurança, emprego, infraestrutura, economia, enfim. É isso que nos preocupa. Em quem votar?