Lideranças políticas

As lideranças políticas, no município de Santo Augusto, parece estarem se exaurindo. É só analisarmos calmamente para chegarmos a essa conclusão. As antigas lideranças por razões diversas foram se afastando. Algumas penduraram as chuteiras, outras foram embora, outras estão desgastadas, enfim. E novas lideranças não surgiram. Em nenhum dos nove partidos constituídos no município se vislumbra perspectivas de novas lideranças políticas. E isso é muito ruim. Os Poderes Políticos (Executivo e Legislativo) são exercidos por agentes políticos eleitos pelo povo com responsabilidades sobre os destinos do ente federativo municipal, e para isso é necessário que os ocupantes desses cargos sejam líderes, efetivamente, e não só no faz de conta. Líderes políticos, hoje, são escassos por aqui. E os poucos que ainda existem estão desgastados politicamente.

 

E a juventude?

Por incrível que pareça, a juventude não quer nada com política. Os últimos jovens que se revelaram como verdadeiros líderes políticos no município foram Pompeo de Mattos que muito jovem foi vereador, depois prefeito, deputado estadual, deputado federal, presidiu o diretório estadual do PDT, e foi candidato a vice-governador; depois veio Jerônimo Goergen que, aos vinte e três anos foi assessor do Ministério da Agricultura, presidiu a juventude estadual e integrou a direção do Diretório Nacional da Juventude do Partido Progressista, foi presidente do Diretório Estadual do PP, elegeu-se deputado estadual e depois de dois mandatos foi eleito deputado federal; na sequência veio Ernani Polo, também com pouco mais de 20 anos se elegeu vereador, foi assessor do deputado Jerônimo durante dois mandatos e, finalmente, elegeu-se deputado estadual. E parou por aí. Santo Augusto não revelou mais nenhum líder político em meio à juventude.

 

Prognóstico

A ausência de lideranças e, por consequência, a desorganização e desestruturação dos partidos políticos no município pérola, permite que se faça um prognóstico do que será daqui três anos, ou seja, nas eleições de 2016. A persistir esse quadro, os atuais detentores do poder, no caso a União por Santo Augusto, por pior que possa vir a ser a sua administração, e mesmo sem lideranças fortes, contará com a máquina administrativa e, cá com meus botões, poderá contar, também, com o apoio do PTB, será franca favorita, e passará a galope, “de novo”, pelos adversários, podendo até dispensar táticas armamentistas e violentas. Cabe, todavia, ressaltar que não será pacífico o entendimento pela cabeça de chapa entre PDT e PMDB. Poderá haver racha.

 

Qual a saída para a oposição?

Pois é. Pelo prognóstico apresentado acima, parece que a oposição está morta. E está. Porém, pode ressuscitar com muita vitalidade. Afinal de contas não tá morto quem peleia. Para isso é preciso que o PP se reestruture, busque lideranças que existem em seu meio, embora adormecidas, capazes de mobilizar e se manter mobilizados, cobrando do prefeito atitudes, afinal de contas a Aliança por Santo Augusto não venceu a última eleição, mas nem por isso deixa de ter compromissos com os quatro mil eleitores que nela votaram. Aliado, a isso, urge que se apresente um pré-candidato a prefeito com liderança política, capacidade de diálogo para manter a unidade entre os partidos que integraram a coligação. E este nome ”revelação”, para mim, será o Dr. Mário Polo.

 

Alternância no Poder

Depois da sequência de três mandatos da coligação Aliança por Santo Augusto com Alvorindo Polo prefeito (93/96), seguido por Naldo Wiegert (1997/2000), e Florisbaldo Polo (2001/2004), sempre houve alternância na administração municipal, entre as coligações União por Santo Augusto e Aliança por Santo Augusto, ou seja, em 2004 a União venceu, em 2008 foi à vez da Aliança, e em 2012 voltou a União por Santo Augusto. Só que isso não serve de parâmetro. Quem não é visto não é lembrado.

 

DJ Boby Cytter na Ciranda

Estreia segunda-feira (10) na Rádio Ciranda e irá ao ar de segunda a sexta-feira, das 09h às 12h40min, o programa Show do Boby, com muito humor, sorteios e música ao gosto do ouvinte. Segundo o diretor Marodin, trata-se de profissional de sucesso no rádio.