O candidato do PSL à Presidência da República, deputado federal Jair Bolsonaro, afirmou na terça-feira (2) que, se for eleito, criará dois “superministérios”. Ao fazer uma transmissão ao vivo no Facebook, Bolsonaro declarou que unificará as pastas da Fazenda e do Planejamento e criará um ministério para unir Agricultura e Meio Ambiente. “Nós pretendemos, como existe em alguns países desenvolvidos, ter um superministério para a área do agronegócio, que seria a fusão do Ministério da Agricultura com o do Meio Ambiente. Não haveria mais brigas. Esse ministro, uma pessoa competente, indicada pelo setor produtivo do campo, e aí agronegócio e agricultura familiar, será uma pessoa que facilite a vida de quem produz no campo”, afirmou.

A pasta é “responsável pela gestão das políticas públicas de estímulo à agropecuária, pelo fomento do agronegócio e pela regulação e normatização de serviços vinculados ao setor”. O Ministério do Meio Ambiente, por sua vez, informa ter a “missão de formular e implementar políticas públicas ambientais nacionais de forma articulada e pactuada com os atores públicos e a sociedade para o desenvolvimento sustentável”.
Em seguida, Bolsonaro afirmou que o mercado financeiro tem “confiança” nele e no economista Paulo Guedes, responsável pelo programa econômico da campanha e que pode assumir o Ministério da Fazenda. “No dia de ontem (segunda, 1º), o Ibope mostrou uma pesquisa onde estamos dez pontos à frente do Haddad. A Bolsa de Valores subiu 4%, maior alta diária desde novembro de 2016, e o dólar recuou abaixo de R$ 4,00 em R$ 3,93. Isso, em grande parte, vem da confiança que eles têm no nosso, no que depender de mim, futuro ministro da Fazenda e do Planejamento, também um superministério, que é o Paulo Guedes”, completou. Cabe ao Ministério da Fazenda a formulação e a execução da política econômica. Ao Ministério do Planejamento, planejar e coordenar a gestão da administração pública federal.
VideVersus