Por Alaides Garcia dos Santos

Bairro Leonisio Gonzato

Presidente: Josias de Oliveira

 

Há dois anos na presidência da Associação de Amigos do Bairro Leonisio Gonzato, na cidade de Santo Augusto, Josias de Oliveira fala sobre o núcleo habitacional que dirige.

 

 O bairro é composto por aproximadamente 250 moradores, totalizando cerca de 600 a 700 habitantes. Possui sede própria e uma quadra de esportes anexa construídas há vários anos, com recursos públicos, porém a manutenção e eventuais reparos e/ou ampliações são custeados pela própria associação. Os recursos para cobrir essas despesas são angariados através de promoções como almoços, jantares, rifas, enfim.

Mas as despesas não se restringem apenas nos gastos rotineiros como pagamento de água, luz e manutenção. Surgem imprevistos como as intempéries climáticas, como foi o caso de um vendaval que destelhou a sede. Aí tem-se que promover bingos e buscar a colaboração dos moradores e empresários do bairro.  

A diretoria se empenha pela melhoria do bairro, mas é muito dificultoso, pois são poucas as pessoas que se doam a trabalhar gratuitamente, queixa-se Josias.

Saúde pública –Quanto à saúde pública, o bairro conta com os serviços de uma agente comunitária de saúde, a qual vem desempenhando a contento a função. Para consultas médicas e demais serviços pertinentes à saúde pública, os moradores se deslocavam ao posto central, porém agora, recentemente, passou a funcionar um posto de saúde no bairro Santa Fé, na divisa com o bairro Leonisio Gonzato, portanto, bem próximo, passando a atender todos os moradores daquela região da cidade.  

Escolas e igrejas – No bairro não há escolas e nem igreja, mas esse não chega a ser problema, porque no bairro Santa Fé, bem próximas do bairro Leonisio Gonzato, está localizada a Escola Municipal Antônio Liberato e a Faculdade FAISA e, também, a igreja católica Nossa Senhora Aparecida. E, a igreja evangélica Assembleia de Deus, embora ainda não tenha prédio próprio no local, faz celebrações na própria sede do bairro.

Tradicionalismo – No tocante a cultura tradicionalista, o bairro abriga o CTG Carreteiros dos Pampas e a Estância do Tibúrcio.

Comércio e prestação de serviços – No bairro Leonisio Gonzato estão instaladas empresas comerciais e de prestação de serviços como: a Estação Rodoviária, Imacol (Comércio de Insumos e Máquinas Agrícolas), Pippi Máquinas Agrícolas, tornearia, oficinas automotivas, revenda de veículos, minimercados, e outras. 

Infraestrutura – Para o líder comunitário a situação quanto a infraestrutura, é relativamente satisfatória, porém há melhorias a serem feitas, enumerando algumas como: redutores de velocidade (quebra-molas) na Rua Erminia Gonzato que corta a Avenida Pedro Campos; a construção de um “muro de proteção” à margem da Avenida Pedro Campos, defronte a “Vila Nísio”, local onde existe um elevado barranco com perigo iminente de desmoronamento, com sérios riscos aos moradores, assim como aos condutores de veículos e seus ocupantes; construção de um abrigo em condições dignas e em local adequado para os “chapas”, atribuindo isso como obrigação do poder público, pois se trata de trabalhadores informais, mas trabalhadores, porém desassistidos.   

Finalmente, o presidente Josias enfatizou ser importante que a imprensa divulgue sobre os bairros, pois a situação é difícil, não há apoio do poder público, inexistem políticas públicas para os bairros.

Bairro Glória

Presidente: Irani Barhy

 

Presidente da Associação do Bairro Glória há vários anos, Irani Bary fez um sucinto histórico sobre o núcleo habitacional do qual é dirigente.

Disse ter assumido a presidência, pela primeira vez, em 2002, gestão 2002/2005. Naquele ano, conjuntamente com demais membros da diretoria, decidiram alugar a sede do Minuano que estava desativada, e no ano seguinte a tomaram em comodato pelo período de seis anos. No local foi construída cancha de bochas e mantido um ecônomo, oportunizando momentos de lazer para os moradores adeptos ao jogo de bochas e outros entretenimentos nos finais de semana.

Em 2010, a diretoria decidiu por construir um espaço (salão) onde, além de reuniões, almoços, aniversários e outros eventos, serviria como local para celebração de missas. Sem ajuda do poder público, uma vez que o prédio não pertencia ao bairro, e por isso não habilitados a receber ajuda pública, passaram a projetar o que e como fazer. Foi projetada uma construção de um salão com 11m x 7,5m de área. A partir daí a diretoria foi em busca dos recursos, batendo de porta em porta, junto a empresas e pessoas físicas do bairro e fora dele, pedindo dinheiro e material de construção.

Foi contratada a mão de obra e iniciada a construção que aos poucos, embora demorada, foi concluída, restando ainda a ser feitos acabamentos internos como reboco, piso e forro, porém já oferece perfeitas condições de uso. A seguir, foi construída uma cozinha, e reformados os banheiros. Hoje, a sede conta com uma bem equipada cozinha (utensílios conseguidos através de doações), uma churrasqueira grande, possibilitando a promoção de jantares e/ou almoços para angariar recursos destinados ao prosseguimento das melhorias na sede do bairro.

 

Como suporte na organização do bairro, por iniciativa feminina, foi criado o “Grupo de Mulheres do Bairro”, aglutinando cerca de quarenta mulheres, que muito veio a contribuir, uma vez que promovem chás e outros encontros de gênero.

 

O terreno, de 2.070 metros quadrados, originariamente, pertencia ao município de Santo Augusto, “doado” ao Grupo de Folclore o Minuano, com finalidade específica. Com a extinção do Grupo O Minuano, o terreno, automaticamente, retornou ao município. Diante disso, graças ao pleito da diretoria junto ao Poder Executivo, o terreno foi doado para a Associação do Bairro, cuja escritura pública o então prefeito Alvorindo Polo não conseguiu a tempo concretizar em virtude da demora nas demandas burocráticas, porém deixou encaminhada e em andamento. O atual prefeito deu prosseguimento ao processo de doação do terreno para o bairro, o que foi oficializada no dia 04 de fevereiro do presente ano, quando o prefeito José Luiz, em nome do município de Santo Augusto, junto ao Tabelionato de Notas, assinou a Escritura Pública de Doação à Associação de Amigos do Bairro Glória.

O Bairro Glória abriga cerca de 700 famílias, totalizando aproximadamente 2.000 (dois mil habitantes).

Nesse bairro está localizada a sede da AFUMUSA (Associação dos Funcionários Municipais), três supermercados, onde um deles é o maior da cidade, indústrias metalúrgicas, cemitério municipal, empresas prestadoras de serviço, enfim.

Deficiências: Há um clamor da comunidade, não só do bairro, sobre a falta de calçamento na Rua Valter Jobim (fundos do cemitério), e da segunda pista do prolongamento da Rua Bom Fim (frente do cemitério), locais de acesso para se chegar até o cemitério, ocorrendo transtornos com o barro nos dias de chuva e com a poeira nos dias de sol. Muitas reclamações e muitos pedidos de providências já foram dirigidos ao Poder Público Municipal, mas os problemas permanecem.

Saúde pública – O bairro não conta com Posto de Saúde, as pessoas que precisam do atendimento se dirigem ao Posto Central. Já quanto a agente de saúde responsável pelo lado 2 do bairro, há que ser melhorado. A agente de saúde lotada naquele setor entrou em licença saúde, “não sendo colocado outro no lugar dela”, deixando sem o atendimento várias pessoas enfermas, principalmente idosas que dependem de acompanhamento diário. Os moradores solicitaram ao secretário da saúde, e até fizeram abaixo assinado para que fosse coberto aquele setor por outro agente de saúde durante a ausência temporária da licenciada, mas lhes foi negado, cujo problema já perdura por vários meses, afirma o presidente Irani.

Escola –No bairro não há escolas, sendo que a clientela estudantil frequenta escolas situadas em bairros próximos como Sol Nascente, no bairro Zeca Silva; Grupo Escolar, no bairro São Francisco; e São João, no bairro São João.

 

Igrejas –Existe, no bairro, a Igreja Pentecostal Deus é Amor, situada na Rua Bom Fim. Quanto aos católicos, é utilizado o salão da sede do bairro para celebração de missas.