Bairro Santo Antônio

Presidente: Arlete Soares

                                                                                                                      Por Alaides Garcia dos Santos

 

Arlete, Rosângela e Cecília

O bairro Santo Antônio, na cidade de Santo Augusto, criado no final da década de 70, início de 80, foi inicialmente urbanizado com a construção de dezenas de casas formando o núcleo COHAB, hoje conta com razoável infraestrutura e saneamento básico, como rede de água potável, rede de energia elétrica, calçamento de ruas, embora essa demanda ainda esteja deixando a desejar. Conta com 500 famílias nele morando, totalizando duas mil pessoas. Uma das grandes conquistas do bairro foi poder ter construído em seu território o Ciep (Escola Estadual Alberto Pasqualini).

Falando à reportagem do jornal O Celeiro, a presidente da Associação de Moradores do Bairro, senhora Arlete Soares, juntamente com suas colegas de diretoria Rosângela Lyssak (secretária) e Cecília Oliveira (tesoureira), ressalta que embora seja constituída só de mulheres, (além das já citadas conta com Bernadete, Cristina e Jéssica), a diretoria vem conseguindo organizar o bairro e também introduzir o espírito da civilidade, tornando o ambiente harmônico entre os moradores e um local bom de morar. Refere que as dificuldades são muitas, os recursos escassos, sem ajuda do poder público, mas mesmo assim estão conseguindo evoluir.

Além do Ciep, no bairro está instalado o Posto de Saúde Novo Milênio, templos religiosos como a Assembleia de Deus, Obra da Restauração (funciona na casa da presidente Arlete), Deus e Amor (funciona na sede da associação), e a igreja Católica, com culto os domingos e missa duas vezes por mês. São segmentos de muitíssima importância para as pessoas que vivem e convivem no bairro, dizem as dirigentes da Associação de Moradores. Tem supermercados ou minimercados, empresas prestadoras de serviço e alguns estabelecimentos comerciais.

Apesar da importância do Posto de Saúde na comunidade, as dirigentes apontam algumas dificuldades enfrentadas pelas pessoas que precisam de atendimento naquela unidade de saúde, como ter de ir de madrugada pegar ficha para consulta e outros atendimentos, o fato de ter somente um médico e que atende só pela parte da manhã. Segundo elas, para marcar consulta a pessoa tem que entrar na fila para pegar a ficha, só que a consulta é marcada para a outra semana ou para dali duas semanas. Sugerem que deveria ter mais médicos atendendo no posto, ou que tivesse um permanente, 24 horas, porque do jeito que está, fica muita gente sem atendimento. Atribuem isso à falta de recursos do município, mas principalmente pelo mau gerenciamento.

Atendimento no posto –As representantes do bairro dizem que funcionário tem bastante no posto, mas o atendimento deve ser melhorado, pois muita gente do bairro se queixa de não ser bem atendida por alguns funcionários no posto.

Agente de saúde –No bairro há dois agentes de saúde, os quais prestam serviço satisfatório aos moradores.

Assistência Social –Deixa muito a desejar, reclamam as dirigentes. Dão pouca atenção para o bairro. Há falhas que não atinge somente um bairro, mas o todo, dizem. Contam que há poucos dias faleceu uma pessoa e a família do morto recorreu à Secretaria de Assistência Social em busca do caixão e também para ser providenciada a sepultura, mas não conseguiram, pois segundo foi informado, “dependia de licitação para aquisição das urnas funerárias e também para contratação de empresa prestadora de serviços pertinentes à sepultura”. Outra dificuldade que, principalmente as pessoas mais carentes estão enfrentando, é a falta de remédios, desde os mais comuns até os de uso contínuo. Quem não pode comprar, como é o caso da maioria dos moradores do bairro, fica perecendo por causa da falta do medicamento.

Lixeiras –Na reunião “prosa de domingo” os moradores pediram à prefeitura a colocação de lixeiras nos cantos da praça, podendo ser latões (tonéis), evitando que cães rasguem os sacos e esparramem o lixo pela rua. Até agora o pedido não foi atendido, queixam-se as dirigentes.

Prosa de domingo –Relatam que na reunião denominada “prosa de domingo”, no ano presente o prefeito e sua equipe, os moradores solicitaram a colocação de quebra molas na Rua Leopoldo Pommer e na Rua Guaíba, locais de risco de atropelamento, principalmente de crianças e idosos; reparos e ampliação da sede junto à praça. Para todos os pedidos o prefeito prometeu solução imediata. Porém, nenhum foi atendido até o momento.

 

Sede desativada do bairro

Nova Unidade Básica de Saúde –A prefeitura anuncia que brevemente estará reformando o prédio desativado da sede do bairro Santo Antônio, para abrigar a UBS. Contudo, a presidente do bairro afirma que os moradores só liberarão aquele prédio depois que o prefeito cumprir a promessa de reformar e ampliar a sede junto à praça do bairro, dotando-a de cozinha, copa, churrasqueira e banheiros. Do contrário, o bairro não vai abrir mão do prédio pretendido pela prefeitura.

Calçamento –No bairro há um problema muito sério com a falta de calçamento de várias ruas, entre elas, a demandada Rua Guaíba e transversais como a Rua Valdevino Moreira Branco. Na parte norte do bairro, somente a rua que passa em frente ao Ciep é calçada, todas as demais são de chão batido, causando transtornos diversos. E não há esperança de solução desse problema, pois quando o assunto foi levantado na reunião “prosa de domingo”, o prefeito afirmou não haver previsão alguma para calçamento dessas ruas.

 

 

Protesto –A secretária do bairro, indignada conta que os moradores estão se organizando para fazer um grande protesto, com bloqueio de ruas. Ela comenta que no loteamento Valentina, onde praticamente não existe trânsito de veículos, “até asfalto foi feito”, e por isso questiona: “se todos nós pagamos impostos, cumprimos com nossas obrigações legais, se todos nós temos direitos e deveres iguais, qual a razão de sermos tratados diferentes dos outros”? E conclui: “se nós não nos mobilizar com protesto forte, vamos ficar para sempre nessa situação”.

 

Sede usada pela Associação – junto à praça

Quadra de esportes da praça do bairro –A quadra se mantém bem conservada em toda a sua estrutura, a qual foi totalmente reformada na administração passada, do senhor Alvorindo Polo, disse Arlete, acrescentando que se mantém vigilante quanto a possíveis depredadores, inclusive responsabiliza junto ao Juizado Especial eventuais autores de danos, fazendo com que eles reparem os danos causados.

 

Quadra de esportes

Segurança Pública –O bairro é ordeiro… Arlete diz que os moradores são satisfeitos com a atenção dispensada ao bairro pela Brigada Militar, tanto no patrulhamento como ao pronto atendimento quando chamada.