Catarina Arimatéia
Do UOL, em São Paulo

Compartilhe4490
 Imprimir Comunicar erro

  • Getty Images

    Há pessoas que acreditam que precisam dizer "sim" sempre para serem amadas

    Há pessoas que acreditam que precisam dizer "sim" sempre para serem amadas

Não são poucas as vezes em que o "sim" é falado mesmo quando a vontade é de dizer "não". Isso acontece até em situações corriqueiras. Por exemplo: quando um amigo pede novamente dinheiro emprestado, sendo que nunca pagou o que devia anteriormente. Ou quando um convite para um aniversário é aceito, mesmo que você esteja sem a mínima vontade de ir. Ou, ainda, quando um primo distante pede para se hospedar na sua casa em todas as férias dele.

Nesses momentos, o primeiro impulso, educadamente contido, é falar um sonoro "não". Mas a resposta é um "sim" simpático e, quase sempre, dito com falsa alegria. Surge, então, a pergunta: por que as pessoas, geralmente, têm tanta dificuldade em dizer "não"?

Em primeiro lugar, por se sentirem culpadas em não agradar o outro. "Elas acreditam que para serem amadas não podem se posicionar de forma contrária nem colocar limites nas relações. Além disso, também podem estar com a autoestima baixa, pois acreditam que não têm o direito de escolher e dizer 'não' a situações desagradáveis", diz a psicóloga Miriam Barros, especializada em terapia familiar, psicodrama e coaching.

Você tem dificuldade de dizer "não"?

  •  

  •  

Resultado parcial

Mas nem sempre a vontade de agradar e o fato de não querer provocar conflitos são os responsáveis pelo "sim". A psicóloga e psicoterapeuta Maura de Albanesi levanta outra questão: há aqueles que gostam de se sentir insubstituíveis. "É o tipo de pessoa que costuma achar que ninguém consegue fazer nada sem ela. E, mesmo que se sinta prejudicada e não queira fazer determinadas coisas, aceita porque, no fundo, gosta de se sentir poderosa e indispensável", explica.

Seja por um motivo ou outro, o fato de aceitar algo que não se queira fazer pode ter consequências além de um simples aborrecimento passageiro. "Ninguém deve se sentir obrigado a atender a todas as demandas que chegam nem concordar com tudo o que as pessoas dizem. Quem tenta agir assim fica sobrecarregado e pode até mesmo desenvolver alguma doença por causa do alto nível de estresse", fala Miriam Barros.

Portanto, aprender a dizer "não" é importante não só para evitar chateações, mas para poupar o lado físico. Um aprendizado difícil? Talvez, porém totalmente possível, dizem os especialistas. Também é importante lembrar que um "não" pode não ser tão catastrófico quanto se imagina. "As pessoas mais maduras conseguem separar as coisas e entender que o 'não' está ligado a um pedido específico ou a uma opinião divergente", acrescenta Miriam.

Thinkstock

Você tem dificuldade para dizer não?

Claro que não é ruim ser bom. Mas você não precisa se negligenciar em nome do outro. Faça o teste e avalie se você mantém o equilíbrio

 

Porém, nem todos reagem com tanta tranquilidade, já que uma resposta negativa pode ser dolorosa ou, no mínimo, incômoda. Como diz a psicóloga Maria de Melo, autora do livro "A Coragem de Crescer" (Editora Évora), nós somos treinados a ter que agradar a todos, o que é uma armadilha perigosa. "Ficamos escravos do 'Ibope'", diz ela. "E quando falamos um 'não', sentimos que falhamos nesse projeto maluco de sempre agradar", acrescenta.

Falar "não" é tão difícil quanto aceitá-lo. Mas se a aceitação depende da maturidade e da autoestima alheia, o fato de aprender a dizer a palavrinha mágica só depende da própria pessoa.

Diga "sim" a você

Para Maura de Albanesi, a maneira mais prática de começar a treinar para dizer "não" é se perguntar: entre você e o outro, quem você escolhe? Cada "não" que você disser para o outro, é um "sim" que está dizendo a você, explica ela. E na hora de responder, nada de meias palavras.

Para a psicóloga, a melhor maneira de dar uma resposta negativa é falando claramente "eu não quero". Segundo ela, a força do querer costuma ser mais respeitada pelo outro do que se justificar demais, fato que pode provocar ainda mais confusão, já que normalmente as pessoas percebem as desculpas como uma forma de enrolação.

Também é permitido "adoçar" a negativa. Mas sem extrapolar. "É bom procurar a melhor maneira de falar, escolher as palavras certas para dizer o 'não' que precisa ser dito. Isso significa respeito e amor", diz a psicóloga Maria de Melo.  Mas se for apenas um jeito de amenizar a negativa com palavras ambíguas, tentar sair-se bem da situação e até desejar que o outro fique agradecido pelo "não" recebido, aí é fazer a outra pessoa de boba, diz a autora. E o resultado pode ser ainda pior do que um "não" bem dito.

Mesmo as pessoas que têm mais dificuldade em dizer "não" podem treinar essa atitude. É possível começar com pequenas situações do cotidiano, e com alguém para quem seja mais fácil dizer "não", sem se sentir desconfortável. "À medida que conseguimos isso, também vamos ganhando mais segurança para dizer 'não' em situações maiores", diz Miriam Barros, lembrando que as pessoas devem ter a liberdade e o direito de falarem "sim" e "não" em qualquer tipo de relacionamento.

"Há o outro lado, também: pessoas que dizem 'não' a todo e qualquer pedido porque temem se sentir abusadas pelo outro. Ter equilíbrio e saber olhar os próprios limites é fundamental para transitar bem entre essas duas respostas", afirma.

O mais importante, porém, é analisar –e trabalhar emocionalmente– os motivos que levam a pessoa a sempre dizer "sim". Só assim a mudança de atitude será consistente e duradoura. "É necessário identificar as circunstâncias do passado que levaram a pessoa a ter medo de se firmar no mundo", fala a psicóloga e autora Maria de Melo. Circunstâncias identificadas, e isso depende de cada um, o "não" virá com muito mais facilidade e firmeza.