Conselho de Medicina do Estado deve abrir sindicância contra o médico Leandro Boldrini

Após o Ministério Público do município de Três Passos denunciar o médico Leandro Boldrini por homicídio quadruplamente qualificado, ocultação de cadáver e falsidade ideológica, no caso da morte de Bernardo Bernardo Boldrini, o Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) deverá abrir uma sindicância contra o médico. De acordo com o presidente do Cremers, Fernando Weber Matos, a entidade aguarda por documentos do Ministério Público para apurar se Leandro receitou um sedativo para matar seu filho. Se comprovado, o Médico deverá ser proibido de exercer a profissão.