Caso do suicídio da mãe de Bernado terá novas revelações que irão ‘chacoalhar’ sociedade trespassense, diz advogado

 

A morte do menino Bernardo Boldrini, de 11 anos, completou três meses nesta sexta-feira, 4. Pela manhã, o advogado da avó do menino, Jussara Uglione, falou a uma rádio de Três Passos sobre o caso.

Marlon Taborda também discorreu sobre o suposto suicídio da mãe de Bernardo, Odilaine Uglione, que teria acontecido em 2010 no consultório médico de Leandro Boldrini. A família quer reabrir o inquérito.

Segundo o advogado, novos fatos serão revelados na próxima semana e irão ‘chacoalhar’ a sociedade trespassense, inclusive com pessoas que teriam acobertado informações sobre o incidente ocorrido naquele ano.

Ao contrário da Polícia Civil, que garante a convicção na versão do suicídio, a promotora Dinamárcia Maciel, que atuou na Comarca de Três Passos, mostrou interesse em esclarecer as controvérsias levantadas pela avó de Bernardo.

“Sugeri a ela que fosse ao Hospital de Caridade de Três Passos e solicitasse uma tomografia feita na Odilaine no dia da morte. Ela chegou ainda com vida ao hospital”, explicou o advogado de Jussara Uglione.

Laudos na carta de despedida supostamente deixada por ela antes da morte e relatórios do atendimento médico de urgência no dia do óbito também poderão fundamentar a decisão do Ministério Público que ainda não bateu o martelo se reabre ou não o caso.

Segundo Ivan Taborda, entre as informações novas que colocariam em xeque a versão oficial está um exame residuográfico indicando presença de pólvora na mão esquerda da mulher, enquanto ela era destra.

O Hospital de Caridade de Três Passos garantiu ter enviado os exames de tomografia e os laudos do atendimento de emergência ainda em 2010 à Polícia Civil. A defesa da avó, porém, relata que os documentos não foram incluídos no inquérito policial, o que pode representar um fato novo.

A promotora de Justiça Dinamárcia Maciel de Oliveira foi promovida para a Comarca de São Luiz Gonzaga desde 18 de março. A nova promotora Silvia Inês Miron Jappe assumiu a Comarca local, e deverá decidir sobre o caso.

Caso Bernardo

Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, desapareceu no dia 4 de abril, uma sexta-feira, em Três Passos. Na noite de segunda-feira, 14, o corpo do menino foi encontrado no interior de Frederico Westphalen dentro de um saco plástico e enterrado às margens do Rio Mico, na localidade de Linha São Francisco, interior do município.

Segundo a Polícia Civil, Bernardo foi dopado antes de ser morto com uma injeção letal no dia 4. Seu corpo foi velado em Santa Maria e sepultado na mesma cidade. No dia 14, foram presos o médico Leandro Boldrini, a madrasta e uma terceira pessoa, identificada como Edelvania Wirganovicz, 40 anos. Evandro Wirganovicz, irmão de Edilvânia, também foi preso acusado de participar da ocultação do cadáver. Os quatro foram indiciados e deverão ir a julgamento.

                                                                                              Três Passos News/Foto: Facebook/Reprodução