O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, afirmou nesta terça-feira que, se eleito, vai criar 500 centros regionais de saúde para atender a população em pólos específicos e permitir que o paciente seja atendido com rapidez. Ao participar de ato público na Associação Médica de Brasília, o tucano voltou a criticar as atuais regras do programa Mais Médicos e afirmou que a presença de profissionais de saúde estrangeiros no País tem “prazo de validade”. O tucano defendeu uma carreira de Estado para profissionais de Medicina e afirmou que a importação de médicos estrangeiros, se for necessária no futuro, deve ser apenas “lateral”. “Nosso programa vai propor a criação de cerca de 500 grandes unidades regionais em um País de 5.500 municípios, onde o cidadão seja atendido por um médico especializado, encaminhado, a partir do diagnóstico feito, para fazer o exame, e já saia dali com os remédios”, disse. “Os médicos estrangeiros são uma solução paliativa. Vou tratar a questão de forma estrutural e criar uma carreira nacional de médicos para que médicos possam se preparar e atender nas regiões mais remotas. Os cubanos têm prazo de validade e ficarão aqui por três anos. O que pretendo é que não haja mais necessidade de médicos estrangeiros no Brasil porque, ao longo do tempo, nossas políticas e ações permitirão que essas vagas sejam ocupadas por brasileiros formados e que passem pelo exame Revalida. Se houver necessidade de médicos estrangeiros, que isso seja apenas uma solução lateral, e não a solução central”, completou.

VideVersus