Numa simples audiência de custódia, nada menos do que quatro causídicos compareceram para dar assistência ao cliente. Certamente estão sendo muito bem remunerados.

Parece óbvio que foi um crime encomendado, que existe uma organização criminosa poderosa na retaguarda e que ao enviar quatro advogados, mandou um claro recado para o próprio Adélio. Tipo assim: “Segura às pontas, faça a sua parte, que estamos fazendo a nossa”.

A magistrada que realizou a audiência de custódia, ao decretar a prisão preventiva, cravou:

“(…) ao que tudo indica, o delito imputado ao acusado foi adredemente planejado”.

Abaixo, a íntegra do Termo da Audiência de Custódia, onde aparecem como defensores do criminoso os advogados Pedro Augusto de Lima Felipe e Possa, Zanone Manuel de Oliveira Júnior, Fernando Costa Oliveira Magalhães e Marcelo Manoel da Costa.

Jornal da cidade online