BlogdoAlaides.com.br

Mês: novembro 2014 (Page 1 of 4)

Grêmio e Inter não estão preparados para a Libertadores

28/11/2014 | 07h04

Wianey Carlet: Grêmio e Inter não estão preparados para a Libertadores LUIS ROBAYO/AFP

Foto: LUIS ROBAYO / AFP

Grêmio e Inter não estão preparados para enfrentar a Libertadores da América. Seriam necessárias contratações e tempo de treinamento. Disputando a pré-Libertadores, não haveria o atendimento de nenhuma destas necessidades.



Barcos admite torcida contra adversários diretos para entrar em campo com chances

A participação nesta competição estaria destinada ao fracasso e ainda comprometeria a campanha inteira de 2015. A não ser que os clubes possuam guardada na manga do paletó, alguma estratégia milagrosa que ninguém conhece.



D'Ale encerra polêmica sobre Tite: "Se tiver que trabalhar com ele, será da melhor maneira"

Clicrbs

Escândalo do Pronaf terá audiência pública nesta sexta-feira em Santa Cruz do Sul

A audiência pública em Santa Cruz do Sul, com o objetivo de tratar da denúncia de desvio de dinheiro do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) no Rio Grande do Sul, será nesta sexta-feira. O encontro terá início às 14 horas, no auditório da Faculdade Dom Alberto, e será realizado em conjunto pelo Senado, por iniciativa da senadora Ana Amélia Lemos (PP-RS), e pela Câmara dos Deputados, por solicitação do deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS). A Câmara de Vereadores de Santa Cruz organiza todo o evento. O escândalo é objeto de operações comandadas pelo Ministério Público Federal e Polícia Federal, interrompidas dia 2 de outubro quando a polícia federal iniciava o cumprimento de mandatos de busca e apreensão. A ordem de paralisação partiu do ministro Teori Zavascki, a pedido do procurador Rodrigo Janot, preocupados com o envolvimento do deputado do PT, Bohn Gass, que goza de privilégio de foro. Esta semana, a Polícia Federal reiniciou investigações em Sinimbu, mas o cumprimento dos mandatos, agora na TRF-4, Porto Alegre, está prejudicado, já que os implicados tiveram tempo para agir. O objetivo da audiência pública desta sexta-feira, diz a senadora Ana Amélia Lemos, é seguir cobrando explicações sobre as denúncias e exigindo investigação rigorosa nesse caso grave, além de garantir transparência ao importante programa de fortalecimento da agricultura familiar no País. Mais de 6,3 mil pequenos produtores teriam sido vítimas da fraude, com suspeita de movimentar cerca de R$ 80 milhões.

VideVersus

Fatos em Foco 27.11.2014

                                                                                   Alaides Garcia dos Santos

 

Escolinha de futebol

Objetivando oportunizar crianças e adolescentes, muitos deles vindos de famílias carentes, a terem perspectivas de futuro, quem sabe até de se tornarem atletas profissionais, há 14 anos o desportista João Batista dos Santos, popularmente conhecido como “Cabo João”, ex-atleta profissional, fundou e mantém ativo o “Centro Esportivo Santo Augusto”, cuja entidade já projetou vários profissionais que hoje atuam no estado, país e também no exterior. Mas, como bem diz o Cabo João, ser atleta profissional é, obviamente, o desejo de cada aluno seu, mas esse é apenas um dos objetivos, pois o principal mesmo é a socialização das crianças e adolescentes envolvidos, que através de teorias e práticas esportivas descobrem o prazer do jogo e das brincadeiras, conhecendo direitos e deveres, de serem educadas pelo esporte. Assim, mesmo que não cheguem a ser profissionais de futebol, serão sabedores de seu papel na sociedade, de homens responsáveis, cumpridores de suas obrigações, enfatiza o professor.

 

Papel social

Além de incentivar jovens e crianças, as escolinhas cumprem um importante papel social, oportunizando que esses menores tenham acesso ao esporte e ao lazer, além de descobrir os verdadeiros talentos. As crianças que poderiam estar na rua, têm a oportunidade de praticar atividades esportivas, onde, mesmo sendo o Centro Esportivo Santo Augusto, escolinha de caráter particular, boa parcela de seus alunos, cerca de 15%, participam gratuitamente, uma vez que seus pais não têm condições de pagar as mensalidades. O futebol tem se mostrado um fenômeno de grande relevância sociocultural, amplamente vivenciado no cotidiano do brasileiro. Seja ditado pela competição racionalizada, seja impregnado pelo sentimento lúdico, seja utilizado pelo Estado ou atuando na coesão social, podemos dizer que o futebol desempenha um papel central na nossa cultura. Nesse sentido, as escolinhas de futebol ganham relevância social e espessura cultural a partir do seu impacto no cotidiano das pessoas envolvidas.

 

Formando profissionais

Extrapolando o papel social sustentado na base, o Centro Esportivo Santo Augusto, por onde já passaram 1.800 alunos, em 14 anos de atividade já colocou no mercado do futebol profissional inúmeros atletas como: Felipe Mattioni (Espanyol da Espanha), Rangel Pess (Maringá/Pr – futsal), Jeferson “Esquerdinha” (Três Febreiro/Paraguai), João Carlos (1ª divisão do União Frederiquense), Cleberson Camargo (São Luiz de Ijuí), Jean Novach (SER Panambi), João Felipe (Lajeadense), Cristiano Rossi (São Luiz de Ijuí), Renato da Silveira (Luverdense – Lucas do Rio Verde/MT), Ricardo de Lima (São José/POA), Ricardo Thalheimer (Palmeirense), Jardel da Cruz (SER Santo Ângelo), Cristian Batista (Encantado), Marcos Vinícius (Esportivo de Bento), mais cerca de 10 atletas que estão no mercado, embora a tenra idade, participando de eventos em importantes clubes e com boas perspectivas de futuro.

 

Dificuldades enfrentadas

Como entidade privada, a escolinha do Cabo João (Centro Esportivo Santo Augusto) custeia as despesas diversas (bolas, coletes, cones, instrutor – professor -, manutenção do campo, transporte, acompanhamento aos atletas, e tantas outras), com os módicos valores arrecadados mensalmente dos pais dos alunos e de doações esporádicas feitas por alguns poucos colaboradores. Apesar dos parcos recursos e das dificuldades financeiras enfrentadas, o Cabo João garante gratuitamente a instrução e até material para cerca de 15% dos alunos matriculados, haja vista serem meninos que demonstram aptidão pelo esporte e seus pais, de condições extremamente pobres, não têm condições financeiras para pagar as mensalidades.

 

E o Poder Público?

Pois é. Nesse sentido o Centro Esportivo Santo Augusto, segundo informado à coluna por seu diretor Cabo João, estará formalizando nos próximos dias “pedido ao senhor prefeito” na busca da viabilidade de destinação mensal de algum valor financeiro dos cofres do município para auxiliar no custeio das despesas, principalmente no transporte e também que permita o acompanhamento a atletas em fase de testes rumo a clubes profissionais. Entenda-se que não se trata de auxilio à pessoa do “Cabo João”, mas sim, reconhecer e valorizar o papel social que a escolinha representa, caracterizando-se como questão de interesse público. Portanto, motivos mais do que suficientes para despertar a sensibilidade, o espírito público, sociocultural, esportivo do prefeito, com o indispensável apoio dos vereadores, para destinar recursos à escolinha.  

Lei Antifumo entra em vigor na semana que vem

Norma proíbe, entre outras coisas, fumar em locais fechados, públicos e privados, de todo o país

27/11/2014 | 12h32
Lei Antifumo entra em vigor na semana que vem Adriana Franciosi/Agencia RBS

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Entra em vigor na próxima quarta-feira a Lei Antifumo que proíbe, entre outras coisas, fumar em locais fechados, públicos e privados, de todo o país. Para especialistas, a medida é um avanço no combate ao hábito de fumar. Pouco mais de 11% da população brasileira são fumantes. No Dia Nacional de Combate ao Câncer, comemorado nesta quinta, a informação vem reforçar as medidas de prevenção da doença.

Com a vigência da Lei 12.546, aprovada em 2011 mas regulamentada em 2014, fica proibido fumar cigarrilhas, charutos, cachimbos, narguilés e outros produtos em locais de uso coletivo, públicos ou privados, como hall e corredores de condomínio, restaurantes e clubes, mesmo que o ambiente esteja parcialmente fechado por uma parede, divisória, teto ou até toldo. Se os estabelecimentos comerciais desrespeitarem a norma, podem ser multados e até perder a licença de funcionamento.

A norma também extingue os fumódromos e acaba com a possibilidade de propaganda comercial de cigarros até mesmo nos pontos de venda, onde era permitida publicidade em displays. Fica permitida a exposição dos produtos, acompanhada por mensagens sobre os males provocados pelo fumo. Além disso, os fabricantes terão que aumentar os espaços para os avisos sobre os danos causados pelo tabaco, que deverão aparecer em 100% da face posterior das embalagens e de uma de suas laterais.

Estudo indica que cigarros eletrônicos contêm substâncias cancerígenas

Fumo passivo pode engordar, diz estudo

Será permitido fumar em casa, em áreas ao ar livre, parques, praças, em áreas abertas de estádios de futebol, em vias públicas e em tabacarias, que devem ser voltadas especificamente para esse fim. Entre as exceções também estão cultos religiosos, onde os fiéis poderão fumar, caso isso faça parte do ritual.

Nas Américas, segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), 16 países já estabeleceram ambientes livres de fumo em todos os locais públicos fechados e de trabalho: a Argentina, Barbados, o Canadá, Chile, a Colômbia, Costa Rica, o Equador, a Guatemala, Honduras, a Jamaica, o Panamá, Peru, Suriname, Trinidad e Tobago, o Uruguai e a Venezuela.

Dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostram que cerca de 90% dos casos de câncer de pulmão, o mais comum de todos os tumores malignos, estão relacionados ao tabagismo. A instituição estima que em 2012 foram diagnosticados mais de 27 mil novos casos da doença, considerada "altamente letal".

Segundo o epidemiologista e consultor médico da Fundação do Câncer, Alfredo Scaff, o hábito de fumar está ligado não só a cânceres no aparelho respiratório, mas também a outros como de bexiga e intestino e pode causar outras doenças, como hipertensão e doenças reumáticas.

Fumantes têm mais chances de sofrer com dor nas costas

Fumo passivo é tão prejudicial quanto poluição

— A gente sempre associa o hábito de fumar ao câncer, mas não é só o câncer, são quase 50 doenças que ele pode causar, direta ou indiretamente — Scaff lembrou que os males podem atingir a pessoa que fuma e a que está ao lado, o fumante passivo.

O epidemiologista conta que enquanto no fim da década de 80, uma pesquisa apontou que cerca de 35% da população adulta eram fumantes, esse número hoje gira em torno de 11%. Para ele, essa redução também se deve à legislação, que impede que as pessoas fumem em qualquer lugar, e às limitações de propaganda. "A entrada em vigor da Lei Antifumo vai limitar o lugar onde a pessoa pode fumar, isso já não permite que ela fume a todo momento. Só para lembrar, um tempo atrás, você podia fumar em avião, no ambiente de trabalho, dentro do cinema, em qualquer lugar podia puxar o cigarro".

O especialista alerta que as pessoas precisam entender que o hábito de fumar é um vício, uma doença que precisa de tratamento. Ele ressalta que a rede pública disponibiliza em todo o Brasil medicamentos e insumos necessários para quem quer parar de fumar.

Para reforçar a importância da Lei Antifumo, a Fundação do Câncer, em parceria com a Aliança de Controle do Tabagismo, lança na semana que vem campanha informativa nas redes sociais. A campanha visa a conscientizar a população sobre o tema e repassar informações sobre a lei.

*Agência Brasil

Senado aprova guarda compartilhada de filhos de divorciados

Outro projeto aprovado pela comissão garante – a mulheres e vítimas de violência doméstica e sexual – o direito de serem atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS)

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Ideia é que esse tipo de instituto seja adotado justamente quando se faz mais necessário: nas separações conflituosas

Foto: iStock

 

 

 

 

 

 

 

Aprovado hoje (26) pela Comissão de Assuntos Sociais do Senado, o projeto de lei que garante a guarda compartilhada de filhos de pais divorciados, mesmo que não haja acordo entre as partes. A matéria segue em regime de urgência para o plenário. Outro projeto aprovado pela comissão garante – a mulheres e vítimas de violência doméstica e sexual – o direito de serem atendidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A proposta, que assegura tratamentos médicos e psicológicos, além de cirurgias plásticas, quando necessárias, segue agora para a Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).

No caso da proposta sobre guarda compartilhada, a expectativa é mudar a atual redação do Código Civil, que tem induzido juízes a decretarem guarda compartilhada apenas nos casos em que há boas relações entre os pais após o fim do casamento. A ideia é que esse tipo de instituto seja adotado justamente quando se faz mais necessário: nas separações conflituosas. Com a nova redação, a guarda será obrigatória, a menos que a Justiça avalie que um dos pais não esteja apto para ter a guarda do filho, ou nos casos em que um deles manifeste desejo de não obter guarda.

O projeto prevê também a necessidade de uma divisão equilibrada do tempo de convivência dos filhos com cada um dos pais. Além disso, estabelece multa para estabelecimentos que se negarem a dar informações sobre o filho a qualquer um dos pais. Ainda segundo o projeto, serão necessárias autorizações dos dois pais para os casos em que o filho venha a mudar de município e no caso de viagens ao exterior.

 

Agência Brasil

Ministro do STJ diz que nenhum outro país vive tamanha roubalheira, sobre Petrobras

 

O ministro Newton Trisotto, do Superior Tribunal de Justiça, relator do julgamento que manteve preso homem apontado pela Polícia Federal como operador do doleiro Alberto Youssef no Exterior nesta terça-feira, disse que a corrupção brasileira é "uma das maiores vergonhas da humanidade". Já o ministro Felix Fischer cogitou que nenhum outro país viveu "tamanha roubalheira". A 5ª Turma da Corte decidiu por unanimidade manter a prisão de João Procópio de Almeida Prado. "A corrupção no Brasil é uma das maiores vergonhas da humanidade", afirmou o relator Newton Trisotto, em uma sessão de discursos fortes. O ministro também ressaltou a extensão que está tomando a Operação Lava-Jato, ao revelar cifras bilionárias. A defesa de João Procópio – apontado como homem de confiança de Youssef fora do Brasil, e preso em julho – alegou que a prisão havia sido cumprida sem requisitos legais. Ou seja, diziam que a prisão havia sido fora da lei, e que deveria ser revogada. "Pelo valor das evoluções, algo gravíssimo aconteceu", disse Trisotto. Ele, acompanhado pelos outros ministros, negou essa tese, e qualificou o papel de João Procópio no esquema como "fundamental". "Prado assumia papel relevante no esquema, controlava contas de Youssef no Exterior. Foi fundamental para controlar dinheiro de origem ilícita", afirmou o relator. Com essa decisão unânime, o Superior Tribunal de Justiça reforçou a posição do juiz federal Sérgio Moro, que conduz a Operação Lava-Jato e vem sofrendo duros ataques de advogados. O ministro Felix Fischer, ex-presidente do Superior Tribunal de Justiça, classificou a corrupção no Brasil entre as maiores do planeta: "Acho que nenhum outro país viveu tamanha roubalheira". O relator Newton Trisotto pediu ainda "coragem" para o juiz Sérgio Moro. Trisotto citou o jurista Ruy Barbosa ao dizer que um juiz não pode ser "covarde": "Não há salvação para o juiz covarde. O juiz precisa ter coragem para condenar ou absolver os políticos e os economicamente poderosos". 
VideVersus

Deputados gauchos aprovam aposentadoria especial para si mesmos

Além de 12 dos 14 parlamentares da bancada do PT, votaram contra

o projeto o deputado Vinícius Ribeiro (PDT) e o deputado Jorge

Pozzobom (PSDB)

 

Caberá agora ao governador Tarso Genro (PT), sancionar ou vetar o texto. 

Foto: Assembleia Legislativa do RS / Divulgação

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

De nada adiantaram as galerias repletas de manifestantes que exigiam ética e respeito à população, os cartazes com frases fortes acusando regalias e privilégios ou os gritos de “vergonha” na hora da votação. Por 29 votos a favor e 14 contra, a Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul aprovou, na tarde desta terça-feira, o projeto de aposentadoria especial para os deputados estaduais gaúchos. Além de 12 dos 14 parlamentares da bancada do PT, votaram contra o projeto o deputado Vinícius Ribeiro (PDT) e o deputado Jorge Pozzobom (PSDB).

Entre as bancadas dos grandes partidos, as do PMDB, com oito parlamentares, e do PTB, com cinco, votaram em peso pela aprovação do texto. A do PP, que tem sete deputados, deu seis votos para a aprovação. Entre as bancadas de apenas um parlamentar, três votaram a favor (DEM, PPS e PCdoB) e duas (PRB e SDD) se abstiveram da votação. Caberá agora ao governador Tarso Genro (PT), sancionar ou vetar o texto. 

O projeto (Projeto de Lei Complementar 249/2014, de autoria da Mesa Diretora da própria Assembleia) altera o sistema de aposentadoria dos deputados estaduais gaúchos, hoje submetidos ao regime geral da previdência. O PLC prevê para deputados e suplentes que a ele aderirem valor de proventos de aposentadorias que tomam por base o subsídio dos deputados. Atualmente o subsídio dos parlamentares gaúchos é de R$ 20 mil, mas deve ser reajustado, também pelos próprios deputados, antes do final do ano.

Para se aposentar pelas regras do plano, são necessários 35 anos de exercício de mandato e 60 anos de idade. Mas podem ser contabilizados os anos de exercício de mandatos exercidos em Câmaras de Vereadores e na Câmara dos Deputados. O projeto permite ainda aposentadorias proporcionais para aqueles com 35 anos de contribuição e 60 anos de idade. E, em seu artigo 4º, estipula que o disposto na lei pode considerar tempos de contribuição reconhecidos pelos sistemas de previdência social do serviço público, civil ou militar, e da atividade privada, rural e urbana, além do tempo de exercício do mandato. Em função destas possibilidades, os cálculos preliminares indicam que, após dois mandatos, os parlamentares já poderão se aposentar com valores superiores aos do teto do INSS, que é de R$ 4,3 mil.


Na semana passada, após ser divulgado pela imprensa que os deputados estavam prestes a aprovar sua própria aposentadoria especial, o procurador-geral do Ministério Público do Estado, Eduardo de Lima Veiga, visitou o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gilmar Sossella (PDT), para externar seu apoio ao projeto. O deputado Raul Pont (PT), maior crítico do texto, diz que vai continuar tentando barrar o benefício. “É inconstitucional e fere a Lei de Responsabilidade Fiscal. Por isso vamos tomar providências. É verdade que, depois que o Judiciário, por medida administrativa, se paga auxílio-moradia, é porque algo já se perdeu. Mas não vamos desistir.”O texto estabelece ainda que as aposentadorias serão atualizadas pelo índice e data do reajuste do subsídio dos membros da Assembleia Legislativa. E determina que em caso de morte do segurado seus dependentes receberão pensão correspondente ao valor da aposentadoria a que ele recebia ou teria direito. Para aprovar a própria aposentadoria especial, os deputados gaúchos foram buscar inspiração na lei federal 9.506/1997, que regra aposentadorias de deputados federais e senadores.

Confira que deputados votaram a favor ou contra o projeto que benecia a eles mesmos:

Contra

Adão Villaverde (PT), Aldacir Oliboni (PT), Altemir Tortelli (PT), Anna Afonso (PT), Daniel Bordignon (PT), Edegar Pretto (PT), Jeferson Fernandes (PT), Marisa Formolo (PT), Nelsinho Metalúrgico (PT), Raul Pont (PT), Stela Farias (PT), Valdeci Oliveira (PT), Vinícius Ribeiro (PDT) e Jorge Pozzobom (PSDB).

A favor

Alexandre Postal (PMDB), Álvaro Boessio (PMDB), Edson Brum (PMDB), Gilberto Capoani (PMDB), Giovani Feltes (PMDB), Márcio Biolchi (PMDB), Maria Helena Sartori (PMDB), Nelson Harter (PMDB), Adolfo Brito (PP), Ernani Polo (PP), Frederico Antunes (PP), João Fischer (PP), Pedro Westphalen (PP), Silvana Covatti (PP), Ciro Simoni (PDT), Gerson Burmann (PDT), Marlon Santos (PDT), Aloísio Classmann (PTB), José Sperotto (PTB), Luis Augusto Lara (PTB), Marcelo Moraes (PTB), Ronaldo Santini (PTB), Adilson Troca (PSDB), Elisabete Felice (PSDB), Zilá Breitenbach (PSDB), Miki Breier (PSB), Paulo Odone (PPS), Paulo Borges (DEM) e Raul Carrion (PCdoB).

Abstiveram-se ou estavam ausentes

Luiz Fernando Mainardi (PT), Miriam Marroni (PT), Mano Changes (PP), Cassiá Carpes (SDD), Catarina Paladini (PSB), Heitor Schuch (PSB), Dr. Basegio (PDT), Juliana Brizola (PDT), Carlos Gomes (PRB), Lucas Redecker (PSDB), Pedro Pereira (PSDB).

*Há 55 deputados no Parlamento gaúcho, mas foram contabilizados 44 votos porque o presidente não vota. O presidente da assembleia, deputado Gilmar Sossella (PDT), contudo, já havia expressado sua total aprovação ao projeto. 

Especial para Terra
 
 

Empreiteiro diz que pagou oito milhões e oitocentos mil em propina

Defesa do diretor da Galvão Engenharia, Erton Medeiros Fonseca, anexou ao inquérito notas fiscais de pagamento de propina a um emissário de Renato Duque, ex-gerente de Serviços da Petrobras

Laryssa Borges, de Brasília
 
 

Foto 1 / 25

AMPLIAR FOTOS

Executivos presos na sétima fase da Operação Lava Jato são liberados pela Polícia Federal, na noite desta terça-feira (18/11), na sede da Polícia Federal em Curitiba

Executivos presos na sétima fase da Operação Lava Jato são liberados pela Polícia Federal, na noite desta terça-feira (18/11), na sede da Polícia Federal em Curitiba – Junior Pinheiro/Folhapress

Preso na sétima fase da Operação Lava Jato, o diretor da Divisão de Engenharia Industrial da empresa Galvão Engenharia, Erton Medeiros Fonseca, afirmou à Justiça que a empreiteira pagou 8,8 milhões de reais, de 2010 a 2014, em propina para um emissário da diretoria de Serviços da Petrobras, comandada por Renato Duque, indicado pelo PT para o cargo. 

A defesa de Erton Fonseca enviou notas fiscais e tabelas que, segundo o empreiteiro, comprovam a cobrança e o pagamento de propina. Ele afirma que “a Galvão Engenharia foi impingida a pagar à empresa LFSN Consultoria Engenharia entre os anos de 2010 e 2014, por determinação de Shinko Nakandakari”. O último repasse, segundo os comprovantes anexados pela empreiteira ao inquérito, são de junho deste ano, quando a Lava Jato já havia sido deflagrada.

Nas notas fiscais da LSFN Consultoria Engenharia, a empresa chega a discriminar os impostos supostamente pagos sobre o valor total da propina. Para dar ares de veracidade, a empresa cita legislações tributárias para simular o recolhimento, por exemplo, de Imposto de Renda. O valor líquido dos comprovantes seria de 8,317 milhões de reais.

Nakandakari é apontado como o responsável por recolher os recursos ilegais cobrados das empresas interessadas em participar de obras envolvendo a Petrobras. De acordo com as investigações, ele se apresentava como emissário da diretoria de Serviços da Petrobras, comandada por Duque.

Leia também: As contas bancárias dos integrantes do clube do bilhão
Empreiteiras investigadas dominam obras públicas no Brasil

O braço direito de Renato Duque na diretoria da estatal, Pedro Barusco, ex-gerente de Serviços, assinou um acordo de delação premiada, confessou que participava ativamente da cobrança de propina na petroleira e se propôs a devolver quase 100 milhões de dólares – a maior cifra a ser devolvida até o momento pelos investigados da Lava Jato.

A apresentação de documentos pela Galvão Engenharia é uma tentativa da defesa de afirmar que está colaborando com as investigações e que, por isso, a prisão de Erton Fonseca não seria mais necessária.

Segundo a versão do representante da empreiteira, havia “efetiva ameaça de retaliação” e uma pressão de “maneira arbitrária, ameaçadora e ilegal” para que os pagamentos dos valores fossem realizados. Em sua manifestação à Justiça Federal do Paraná, o dirigente se propõe a participar de uma acareação com o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e com o doleiro Alberto Youssef para comprovar suas informações. Costa e Youssef são os principais delatores do esquema bilionário de desvio de recursos públicos e fraude em licitações envolvendo a estatal do petróleo. Ambos aceitaram fazer acordos de delação premiada em troca de benefícios judiciais.

Em novos documentos encaminhados à Justiça nesta segunda-feira, a Galvão Engenharia ainda apresenta registros de que não teria participado de determinadas obras, indicando que a participação em empreendimentos estava condicionada ao pagamento de propina. Em um dos casos, o de contratação de tubovias para o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), a empresa diz ter vencido o certame, mas depois foi inabilitada pela Petrobras por “inexequibilidade da obra”. O caso foi analisado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que afirmou que “a comissão de licitação, sem motivo fundamentado, deixou de acolher proposta que traria economia à Petrobras da ordem de 163 milhões de reais”. 

 

Os principais personagens da Operação Lava Jato da PF

 

1 de 7

Paulo Roberto Costa

Indicado pelo PP à diretoria de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa é um dos pivôs do esquema de lavagem de dinheiro. Ao lado do doleiro Alberto Youssef, montou um esquema de desvio de recursos da estatal para enriquecimento próprio e para abastecer o bolso de políticos e partidos da base aliada. Isso era feito com a assinatura de contratos fictícios, simulando a prestação de serviços entre empresas de fachada e as empreiteiras envolvidas, sempre com a finalidade de dar aparência legítima ao dinheiro desviado. Foi preso em março de 2014 e solto três meses depois, por ordem do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal. Em junho, contudo, voltou para a cadeia por esconder da Justiça que possuía 23 milhões de dólares depositados em bancos suíços. Optou por selar acordo de delação premiada com a Justiça e, em depoimento, arrastou para o centro do escândalo três governadores, um ministro, seis senadores, 25 deputados federais e três partidos políticos (PT, PMDB e PP). Ao desvendar as engrenagens do petrolão, revelou um cartel de grandes empreiteiras que escolhia as obras, decidia quem as executaria e fixava os preços. As empreiteiras superfaturavam os custos e repassavam até 3% do valor dos contratos para os “agentes políticos”. Revelou também os nomes dos operadores dos partidos no esquema, entre eles o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, responsável por receber e administrar o dinheiro desviado da Petrobras para a sigla. Depois de homologado o acordo de delação pelo STF, passou a cumprir prisão domiciliar. 
 

 

Veja
 

Ao tentar apartar briga entre pai e mãe, menino de 12 anos é morto no RS

Polícia suspeita que mãe tenha efetuado disparo no peito acidentalmente.

Pai estaria embriagado e tentou cometer suicídio, diz Brigada Militar.

 

Do G1 RS

 

Uma briga de família terminou em tragédia no final de semana no município de Cerrito, na Região do Sul do Rio Grande do Sul. Ao tentar apartar uma briga entre os pais, um garoto de 12 anos morreu com um tiro no peito efetuado acidentalmente pela mãe, informou a Polícia Civil.

A Brigada Militar infomou que antes do disparo o pai do garoto, de 35 anos, chegou em casa armado e ameaçou se matar. A suspeita é de que ele estivesse embriagado. Segundo as investigações iniciais, a mãe do menino conseguiu tirar a arma das mãos do homem, mas, na confusão, o garoto foi baleado e não resistiu aos ferimentos.

O caso, ocorrido neste sábado (22), chocou a vizinhança da família, no bairro São Miguel. Conforme a Polícia Civil, os pais foram encaminhados à Delegacia Regional de Pelotas, também na Região Sul. A arma utilizada ainda não foi localizada.

Assembleia recebe projetos de lei que separam bombeiros da BM no RS

Proposições tratam da Transição, Efetivo e Lei de Organização Básica.

Proposta de desvinculação é uma antiga reivindicação dos servidores.

 

Do G1 RS

Entrega foi feita na Sala de Reuniões da Presidência da Assembleia Legislativa do RS (Foto: Divulgação/AL)Entrega foi feita na Sala de Reuniões da Presidência da Assembleia Legislativa do RS (Foto: Divulgação/AL)

O governo do Rio Grande do Sul entregou nesta segunda-feira (24) na Assembleia Legislativa os três projetos de lei que tratam do desmembramento do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar. A proposta de desvinculação é uma antiga reivindicação dos servidores, que agora terão verbas destinadas apenas para a corporação e total autonomia quanto as decisões específicas da profissão.

As proposições apresentadas ao presidente do Legislativo, deputado Gilmar Sossela, tratam da Transição, Efetivo e Lei de Organização Básica (LOB) do novo Corpo de Bombeiros Militar. Estiveram presentes no ato a secretária da Coordenação da Assessoria Superior do Governador, Mari Perusso, o secretário de Segurança Pública, Airton Michels, e o chefe-adjunto da Casa Civil, Flávio Helmann.

Atualmente o Corpo de Bombeiros está presente em 66 municípios gaúchos. Com a nova legislação, este número deve ampliar a presença da corporação para quase a totalidade das cidades gaúchas.

Os anteprojetos de leis foram elaborados visando uma instituição permanente, moderna, estável e eficaz, com capacidade de se desenvolver plenamente em todas as suas atividades, permitindo ao seu efetivo uma melhor prestação de serviços. Segundo o governo, o trabalho foi elaborado com a participação de bombeiros através de uma construção de ideias, e depois foi apresentado ao Grupo de Trabalho junto ao Governo para discussão. Desta maneira, foram criados a Lei de Fixação de Efetivo, o Plano de Carreira, a Lei de Organização Básica e a Lei de Transição.

Page 1 of 4

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén