BlogdoAlaides.com.br

Mês: junho 2014 (Page 1 of 7)

Promessas fantasiosas

Discurso sobre o Presídio Central começa a ficar sério

O governo, através da Susep (Superintendência dos Serviços Penitenciários), começou a acenar, nos últimos dias, com a redução da massa carcerária do Presídio Central para 1.500 ou 2.000 apenados até o final deste ano. Lá habitam, em média, 4.500 almas penadas. Trata-se, agora, de um discurso racional, o que corresponde ao início do abandono das promessas fantasiosas que vinham sendo feitas, de forma demagógica e reiterada. O governo Yeda Crusius chegou a anunciar não só o esvaziamento do Central como a sua implosão. Tarso Genro não arriscou falar em implosão, mas não sei quantas vezes, através de seus companheiros, desenhou o esvaziamento total daquela coisa até o final de 2014. Não escondo meu ceticismo. Creio que, na melhor das hipóteses, a redução ficará em dois mil apenados

Delegados lançam livro

O livro "Investigação Criminal – Ensaios sobre a arte de investigar crimes" será lançado na próxima terça-feira, às 19h, na sede da Asdep/RS (Associação dos Delegados de Polícia do RS), na rua Visconde de Inhaúma, n 56, bairro Azenha. A obra foi organizada pelos delegados Emerson Wendt e Fábio Motta Lopes e é editada pela Editora Brasport. Trata-se de uma coletânea de artigos escritos por 16 delegados da Polícia Civil gaúcha. Os artigos são de autoria dos delegados Adilson José da Silva, Clarissa Kolowski Rodrigues, Cristiane Machado Pires Ramos, Elisangela Melo Reghelin, Emerson Wendt, Fábio Motta Lopes, Fernanda Seibel Aranha, João Gabriel Parmeggiani Pes, Luciana Peres Smith, Marco Aurelio Schalmes da Silva, Maria Rosane Fontela Nunes, Marina Machado Dillenburg, Marino Franceschi, Rafael Soccol Sobreiro, Rodrigo Marquardt da Silveira e Taís Bee Wittée Neetzow.

Candidatos brigadianos

Em convenção do PP, realizada sexta-feira última, o nome do tenente-coronel da reserva da Brigada Militar José Carlos Riccardi Guimarães, atual presidente da AsofBM (Associação dos Oficiais da Brigada Militar), foi aprovado para concorrer a deputado estadual. Outro tenente-coronel que postulará uma cadeira na Assembleia gaúcha é Ordeli Savedra Gomes (PSB), que já está no rol dos oficiais superiores aposentados. Os brigadianos querem chegar lá

Decisões do Piratini

Deu no Diário Oficial do Estado: – Aposentadoria do tenente-coronel João Suly Carpes Mazzucco, além de quatro tenentes e dez sargentos; as especialistas em saúde Carolina de Vasconcellos Drügg e Renata Maria Dotta Panichi viajam de 6 a 12/7/14 para Havana/Cuba com 6,5 diárias de 250 dólares/dia e passagens aéreas; a agente administrativa Claudia Quevedo da Costa, da Secretaria da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa, viaja de 26 a 29/6/14 para Montevidéu/Uruguai com 3,5 diárias de 200 dólares/dia.

 
O Sul

Retorno dos brigadianos para o interior do Rio Grande do Sul começa nesta terça-feira, legado para Porto Alegre é a volta da insegurança pública

Está previsto para começar nesta terça-feira o retorno ao Interior de parte do efetivo da Brigada Militar (BM) recrutado para reforçar o policiamento de Porto Alegre durante a Copa do Mundo. Esses brigadianos deram aos portoalegrenses a sensação de segurança, que agora será perdida imediatamente após o último jogo na cidade. Ou seja, os portoalegrenses não terão legado na área de segurança pública, o legado será o retorno à insegurança. A primeira desmobilização no efetivo deve abranger mil policiais. Até o fim do Mundial, devem permanecer em Porto Alegre outros 600 homens vindos de outras cidades. Cerca de 1,6 mil brigadianos foram deslocados no final de maio para compor duas unidades criadas exclusivamente para trabalhar durante a competição, o Batalhão Copa e o Batalhão Especial de Pronto Emprego (Bepe). O efetivo somado é de 2,7 mil policiais. Dividido em nove pelotões, o Batalhão Copa foi escalado para o patrulhamento ostensivo nas ruas e também em apoio aos seguranças particulares contratados pela Fifa que trabalham no Beira-Rio em dias de jogos. O Bepe atua na proteção de seleções, nos centros de treinamento e também está de prontidão para agir em eventuais manifestações populares.

VideVersus

PMDB lança candidatura de José Ivo Sartori ao governo do Estado

O vice da coligação será José Paulo Cairoli (PSD), ex-presidente da Federasul

PMDB lança candidatura de José Ivo Sartori ao governo do Estado Joana Colussi/Agência RBS

Senador Pedro Simon foi homenageado no eventoFoto: Joana Colussi / Agência RBS

Em convenção estadual, o PMDB lançou na manhã deste domingo a candidatura de José Ivo Sartori, ex-prefeito de Caxias do Sul, ao Palácio Piratini. A coligação tem como candidato a vice governador José Paulo Cairoli (PSD), ex-presidente da Federasul, e a senador Beto Albuquerque (PSB). A coligação, formada ainda pelos partidos PPS, PTdoB, PSDC, PHS e PSL, tem mais de 300 candidatos estaduais e federais.



Leia todas as últimas notícias de Zero Hora

Militantes partidários lotaram o Teatro Dante Barone, da Assembleia Legislativa, em Porto Alegre, com bandeiras e bigodes postiços _ que promete ser o simbolo da campanha de Sartori. A campanha será coordenada pelo ex-deputado federal Ibsen Pinheiro.

No começo dos discursos foi feita uma homenagem em vídeo ao senador Pedro Simon, que se despede do Senado neste ano. Ele se emocionou ao receber uma bandeira do Brasil, do Rio Grande do Sul e do PMDB.

– Regresso para casa, mas não para tomar cafézinho. Onde quer que eu esteja estarei a teu serviço, Sartori. – disse Simon, ao destacar que a biografia de Sartori é mais preparada do que qualquer outro governador que o Estado já teve.

Antes do discurso, Sartori também foi homenageado em vídeo onde foi chamado de "gringo, filho de agricultora e borracheiro".

_ Não vou ser daqueles que irá olhar para trás. Para frente é se que se anda. Chega de achar culpados, não se faz política com ódio _ disse Sartori.

O ato político foi encerrado com a participação do deputado federal Mendes Ribeiro Filho, que chegou ao evento em uma cadeira de rodas. A expectativa da presença do ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), candidato à Presidência da República, não foi confirmada.

Diário Gaúcho

Já como candidato, Eduardo Campos ataca Dilma e Aécio

O candidato fez questão de alfinetar seu adversário do PSDB, que nesta semana sugeriu que os partidos que pretendem desembarcar da aliança com a presidente Dilma “suguem” mais um pouquinho

28/06/2014 | 19:29Agência Estado

Com um tom crítico ao PSDB e ao PT, Eduardo Campos foi oficializado neste sábado (28) como candidato do PSB à Presidência da República. Em seu discurso, atacou o baixo crescimento econômico e prometeu fazer a reforma tributária no primeiro ano de governo.

Campos repetiu um discurso que vem sustentando nos últimos meses: de que é preciso romper com a velha política do fisiologismo, que é preciso implantar um governo que dialogue mais com a sociedade e acabar com a corrupção.

Agência Brasil/Wilson Dias

Agência Brasil/Wilson Dias / Eduardo Campos e Marina Silva oficializam a candidatura à Presidência da RepúblicaAmpliar imagem

Eduardo Campos e Marina Silva oficializam a candidatura à Presidência da República

O candidato fez questão de alfinetar seu adversário do PSDB, o senador Aécio Neves (MG), que nesta semana sugeriu que os partidos que pretendem desembarcar da aliança com a presidente Dilma Rousseff “suguem” mais um pouquinho. Sem citar o nome de Aécio, Campos disse que “tem gente” que acha bonito a prática de sugar o Estado. “Vamos desgrudar esses sanguessugas dos cofres públicos”, declarou.

Como candidato oficial do PSB ao Palácio do Planalto, Campos afirmou que manterá os programas sociais da atual gestão e que as conquistas do passado serão garantidas em um eventual governo de sua chapa. Ele condenou os que pregam a “desunião” no País. “Eles dividem e nós vamos unir”.

Os ataques à política econômica foram um capítulo de destaque no discurso do candidato. Campos acusou o atual governo de ter colocado o País em um “atoleiro” e falou em “salvar”, com “competência”, a Petrobras e o setor elétrico. Ele enfatizou que se eleito, vai colocar a reforma tributária como prioridade do primeiro ano de governo. “Vou colocar a carga tributária numa descendente”, afirmou. No encontro da chapa “Unidos pelo Brasil” que reúne PSB, Rede Sustentabilidade, PPS, PPL, PRP e PHS, sobraram críticas ao modelo econômico conduzido por Dilma e à política de alianças da atual gestão.

Num discurso combinado para ser complementar a fala do outro, a vice da chapa Marina Silva fez questão de dissipar os boatos de que ela e Campos estariam vivendo uma crise nos bastidores da campanha. “Eu posso dizer para vocês, meus amigos, que vocês nunca tiveram noção do momento mais grave da crise que vocês achavam que existia entre nós dois”, disse a ex-senadora. Segundo ela, o momento mais “tenso” da relação foi quando ele se recusou a comer a refeição dela. Marina, que devido a problemas de saúde, tem uma dieta balanceada devido a uma série de restrições alimentares.

Também coube a ela fazer um apelo para que a campanha siga um modelo de não confronto, apesar da estratégia do “medo” utilizada pelos adversários. Ao final do encontro, Marina sofreu uma queda de pressão e foi para sua casa, em Brasília.

A convenção que oficializou a candidatura ocorreu nesta manhã em um centro de convenções em Brasília. Por causa do jogo da seleção brasileira na Copa do Mundo, os discursos se encerram por volta das 12h.

Prefeito de Tapejara é empossado o novo presidente da Famurs, no RS

Seger Menegaz ficará à frente da entidade no biênio 2014/2015.

Solenidade de posse foi realizada nesta sexta-feira na sede da Famurs.

 

Do G1 RS

 


 
Presidente da Famurs Seger Menegaz (Foto: Divulgação)Seger Menegaz assumiu presidência da Famurs na

sexta-feira (27) (Foto: Divulgação)

O prefeito de Tapejara, Seger Menegaz, 50 anos, é o novo presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs). O novo presidente assume o cargo no lugar do prefeito de Santo Ângelo, Valdir Andres. Menegaz tomou posse nesta sexta-feira (27) e ficará no biênio 2014/2015 à frente da entidade.

Assim que assumiu, o novo presidente declarou compromisso por lutar pela renovação da lei das licitações e pela desoneração dos municípios. "Chegou a hora de transformar o Brasil. Precisamos de reformas estruturantes que simplifiquem o país, os tributos, as leis, os recursos públicos e a divisão de poder", discursou.

Além disso, Menegaz garantiu dar continuidade a bandeiras históricas da entidade, como a distribuição dos royalties, o aumento do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e a rediscussão do acordo entre União, estados e municípios.

O evento, que ocorreu na sede da Famurs em Porto Alegre contou com a participação de cerca de 250 pessoas, entre prefeitos, vices, secretários municipais, vereadores, deputados estaduais e federais. Confira abaixo os integrantes da nova direção da Famurs.

Diretoria da Famurs – Gestão 2014/2015

Presidente: Seger Menegaz – Tapejara

1º vice-presidente: Luiz Carlos Folador – Candiota

2º vice-presidente: Angelo Thomas – Giruá

3º vice-presidente: Salmo de Oliveira – Rio dos Índios

1º secretário: Tito Jaeger Filho – Taquara

2º secretário: Anibal Moacir da Silva – São Leopoldo

1º tesoureira: Fábia de Almeida Richter – Cristal

2º tesoureiro: Eduardo Buzzatti – Pejuçara

PT oficializa o nome de Tarso Genro para concorrer ao governo do RS

Em convenção realizada neste sábado, partido definiu candidatos e aliança.

Tarso tentará reeleição ao Piratini, e Olívio Dutra concorre ao Senado.

 

Eduardo AmaralDo G1 RS

 


 
Tarso Genro participa da convenção do PT (Foto: Reprodução/RBS TV)Em convenção neste sábado, PT confirmou as candidaturas de Tarso e Olívio (Foto: Reprodução/RBS TV)



Em convenção realizada neste sábado (28), o PT oficializou a candidatura de Tarso Genro para concorrer a reeleição ao governo do Rio Grande do Sul. A chapa majoritária terá ainda o ex-governador Olívio Dutra como candidato ao Senado e Abgail Pereira como vice ao governo estadual.  

De acordo com a direção do PT, cerca de 500 pessoas participaram do encontro realizado na sede estadual do partido em Porto Alegre. A convenção serviu apenas como uma oficialização dos nomes que já haviam sido definidos na chapa majoritária.

O encontrou também selou a aliança com os partidos que formam a coligação Unidade Popular pelo Rio Grande. Ao todo sete partidos irão compor a chapa que concorre nas eleições de outubro: PT, PTB, PCdoB, PROS, PTC, PPL e PR. O PCdoB indicou Abgail como vice, enquanto a vaga para a suplência do Senado terá indicação do PTB.

Segundo o presidente estadual do PT, Ary Vanazzi, a campanha se focará em apresentar os resultados do mandato de Tarso no Palácio Piratini. Também ficou definido neste sábado que o PCdoB e o PTB concorrerão juntos para as vagas de deputado federal. Já para as vagas na Assembleia Legislativa, o PCdoB vai se unir a PROS, PPL e PR.

Sobe para 6,7 mil o número de pessoas fora de casa por causa da chuva no RS

Número de municípios afetados saltou para 54, segundo Defesa Civil.

Governo traçou plano de ação para apoiar desabrigados e desalojados.

 

Do G1 RS

 


 
iraí rio uruguai chuva rs (Foto: Fernando Sucolotti/Divulgação)Cheia do Rio Uruguai deixou rastro de prejuízos

em Iraí (Foto: Fernando Sucolotti/Divulgação)

Divulgado no final da tarde deste sábado (28), o novo boletim da Defesa Civil Estadual mostra que saltou de 4,7 mil para 6,7 mil o total de pessoas obrigadas a deixar suas casas em função das enchentes no Rio Grande do Sul. Além disso, mais duas prefeituras foram incluídas na lista de municípios atingidos, que agora soma 54.

De acordo com o órgão, o estado já tem 2.395 moradores desabrigados. Todos tiveram que ser levados a ginásios, centros comunitários e albergues disponibilizados pelo poder público. Já o total o número de desalojados, que estão abrigados em casas de amigos e familiares, chegou a 4.371 pessoas.

Mais cedo, prefeitos de 46 dos 54 municípios afetados participaram de uma reunião organizada pelo governo do Estado em busca de um plano de ação para os municípios atingidos pela chuva. No encontro, o Palácio Piratini prometeu apoio com ampliação de microcrédito e reforço no maquinário para a execução de obras de emergência.

 

Prefeituras decretam emergência

Oficialmente, três municípios enviaram decretos de emergência à Defesa Civil:Barão de CotegipeErval Grande eVicente Dutra. As três cidades somavam 73 desabrigados e 160 desalojados na manhã deste sábado (28). A Defesa Civil ainda irá analisar os pedidos.

A prefeitura de Iraí, também no Norte, decretou estado de calamidade pública. O município, que fica na divisa com Santa Catarina, é o mais atingido pela chuva. Mais de 1,3 mil pessoas seguem fora de casa. De acordo com a Defesa Civil, pelo menos 400 pessoas estão desabrigadas e 900 estão desalojadas no município. Na manhã deste sábado (28), uma nova vistoria na ponte que liga a cidade à Santa Catarina descartou a liberação do trecho.

A chuva no RS

  • – 54 municípios afetados
  • – 6,7 mil pessoas fora de casa
  • – 4.371 desalojados
  • – 2.395 desabrigados

A Defesa Civil indicou que o nível do Rio Uruguai está 17 metros acima do normal. Já segundo a empresa que cuida da obra na ponte, o nível do rio está 19 metros acima do normal.

A previsão do tempo para domingo (29) é que a chuva continue, mas perca força. Pela manhã, vai chover sobre todo o Rio Grande do Sul, com pancadas mais intensas na Região Central do estado. A partir da tarde, a chuva começa a perder força e se concentra em todo o Centro e Leste gaúcho.

PP oficializa Ana Amélia Lemos como candidata ao governo do RS

Senadora terá o deputado Cassiá Carpes (SDD) como vice na chapa.

Plataforma política acredita nos votos femininos para alcançar objetivo.

 

Dayanne RodriguesDa RBS TV

 


 
Ana Amelia Lemos governo (Foto: Dayanne Rodrigues/RBS TV)Ana Amelia Lemos é a candidata do PP na corrida pelo governo do estado (Foto: Dayanne Rodrigues/RBS TV)

Em convenção estadual realizada na tarde desta sexta-feira (27) no Teatro Dane Barone, na Assembleia Legislativa, o Partido Progressista (PP) lançou sua chapa que concorrerá ao governo do Rio Grande do Sul nas eleições de outubro. A senadora Ana Amélia Lemos será candidata ao Palácio Piratini e terá como vice o deputado estadual Cassiá Carpes, do SDD.

No encontro, a senadora ratificou a ideia de uma campanha municipalizada, onde o apoio de cada municipio será fundamental para sua eleição. Ana Amélia também utilizou o argumento de que as mulheres são parte fundamental neste processo político e que será necessário o voto delas para alcançar o objetivo traçado.

A convenção teve a participação de membros de todos os partidos que formarão a coligação, PSDB, PRB, PP e SDD. Durante o evento, também foi anunciada como candidata ao Senado Simone Leite, ex-PSDB, que concorrerá pela sigla do PP. Na corrida pela Presidência da República, o candidato será Aécio Neves, do PSDB.

Dilma sanciona lei que proíbe castigos físicos a crianças e adolescentes

27/06/2014 10h24 | Atualizado em: 27/06/2014 10h35

Ilustração

Segundo a lei, a criança e o adolescente têm o direito de ser educados sem o uso de castigo físico como formas de correção, disciplina, educação ou qualquer outro pretexto

Segundo a lei, a criança e o adolescente têm o direito de ser educados sem o uso de castigo físico como formas de correção, disciplina, educação ou qualquer outro pretexto


Do Portal BrasilA presidenta Dilma Rousseff sancionou a lei nº 13.010, que proíbe o castigo físico contra crianças, aprovada no último dia 4 de junho no Senado Federal. A sanção da lei pela presidenta foi publicada no Diário Oficial da União desta sexta-feira (27) e garante às crianças e adolescentes brasileiros o direito de serem educados e cuidados sem castigos físicos ou tratamento cruel e degradante.

A normativa ficou conhecida como a Lei Menino Bernardo, em homenagem a Bernardo Boldrini, de 11 anos, que foi encontrado morto no Rio Grande do Sul, em crime cujos principais suspeitos são o pai e a madrasta.

Segundo a lei, a criança e o adolescente têm o direito de ser educados sem o uso de castigo físico como formas de correção, disciplina, educação ou qualquer outro pretexto, pelos pais, integrantes da família, responsáveis, agentes públicos executores de medidas socioeducativas ou por qualquer pessoa encarregada de cuidar deles, tratá-los, educá-los ou protegê-los.

Quem não acatar a nova determinação estará sujeito ao encaminhamento a programa oficial ou comunitário de proteção à família ou a tratamento psicológico ou psiquiátrico, além de ser advertido.

A lei determina ainda o encaminhamento a cursos ou programas de orientação aos pais ou responsáveis e a obrigação de conduzir a criança a tratamento especializado. As medidas serão aplicadas pelo Conselho Tutelar.

O texto traz como definição de castigo físico ação de natureza disciplinar ou punitiva aplicada com o uso da força física sobre a criança ou o adolescente que resulte em sofrimento físico ou lesão. Já o tratamento cruel ou degradante é caracterizado por uma conduta ou forma cruel que humilhe, ameace gravemente ou ridicularize a criança e o adolescente.

A normativa prevê também que a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios deverão atuar de forma articulada na elaboração de políticas públicas e na execução de ações destinadas a coibir o uso de castigo físico e difundir formas não violentas de educação de crianças e de adolescentes.

Por fim, a lei prevê a inclusão, nas políticas públicas, de ações que visem a garantir os direitos da criança e do adolescente, desde a atenção pré-natal, e de atividades junto aos pais e responsáveis com o objetivo de promover a informação, a reflexão, o debate e a orientação sobre alternativas ao uso de castigo físico ou de tratamento cruel ou degradante no processo educativo.

Números surpreendentes

Segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), no Brasil, a cada dia, uma média de 129 casos de violência psicológica, física e sexual, e negligência contra crianças e adolescentes são reportados ao Disque 100 – central que recebe denúncias referentes a violação dos direitos humanos. Esse número que dizer que, a cada hora, cinco casos de violência contra meninas e meninos são registrados no País. O quadro pode ser ainda mais grave se for levado em consideração que muitos desses crimes nunca chegam a ser denunciados.    
 

Maluf acredita que a vida é um palanque eleitoral e passa por constrangimento em igreja de SP

 

paulo_maluf_14Ponto final – É cada vez maior a decrepitude que marca o fim insólito da carreira política dePaulo Salim Maluf, ex-prefeito de São Paulo, adversário histórico do PT e que há muito apoia a legenda responsável pelo período mais corrupto da história nacional. O que explica essa bisonha e merecida aproximação, pois os iguais sempre chafurdam no mesmo lamaçal.

De olho na reeleição, necessária para manter a prerrogativa de foro e controlar os processos de que é alvo, Maluf decidiu, dias atrás, participar da missa de trigésimo dia pela memória de José Eduardo Faria Lima, falecido em acidente automobilístico no interior de São Paulo, fato que foi noticiado pelo ucho.info.

Em uma igreja da capital paulista, Paulo Maluf se instalou no primeiro banco à espera do início do ato religioso, mas não imaginava que seria alvo de enorme constrangimento. Uma filha de Faria Lima dirigiu-se ao padre para pedir que a cerimônia só começasse depois da saída de Maluf. Constrangido diante do pedido, o clérigo tentou convencer o ex-prefeito a deixar o local, mas o mesmo, com sua costumeira desfaçatez, não arredou pé.

Inconformada com a decisão de Maluf, a filha de Faria Lima tomou o microfone da igreja e dirigiu-se aos presentes, que já tinham se dado conta do imbróglio, com a seguinte frase: “Peço aos verdadeiros amigos do meu pai e da minha família que deixem o recinto”. Sem qualquer hesitação, os verdadeiros amigos de José Eduardo Faria Lima deixaram a igreja, enquanto Paulo Maluf permaneceu imóvel na primeira fila.

Para quem sempre fez coisas luciferianas na seara da política, Maluf é um abusado, que vai à igreja para ser valer de um momento de dor de terceiros e cabalar votos. Persona non grata na maior parte do território nacional, de onde não pode sair porque está na alça de mira da Interpol, o ex-prefeito paulistano desconhece o que é lógica existencial.

Por conta disso, o deputado federal pelo Partido Progressista se vê obrigado a apoiar o PT, pois do contrário já estaria morto politicamente, sem direito a velas, choro e missa de sétimo dia. Eis o cabo eleitoral de Alexandre Padilha e Dilma Rousseff na terra dos bandeirantes.

Page 1 of 7

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén